Benfica 3-0 Sp. Braga

07-08-2016 22:40

Magia e frieza dão sexta Supertaça ao Benfica

O Benfica derrotou o Sporting de Braga por 3-0 em Aveiro e conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira, depois de um belo jogo de futebol.
Franco Cervi
Foto: LUSA

Franco Cervi marcou o primeiro golo da partida.

Por Gaspar Castro sapodesporto@sapo.pt

O Benfica levou a melhor diante do Sporting de Braga, este sábado, e conquistou a sexta Supertaça Cândido de Oliveira do seu palmarés. Cervi (10'), Jonas (75') e Pizzi (90') apontaram os golos do triunfo por 3-0 dos 'encarnados' no Municipal de Aveiro. O argentino e o português foram os protagonistas dos momentos mais bonitos do encontro, com o avançado brasileiro a demonstrar notável frieza na finalização.

Para o primeiro jogo oficial da temporada, Rui Vitória apostou num 'onze' com Júlio César na baliza, uma defesa com Nélson Semedo, Luisão, Lindelof e Grimaldo, um meio-campo com Fejsa, André Horta, Pizzi e Cervi e um ataque com a letal dupla Jonas-Mitroglou. Já o Sporting de Braga, comandado por José Peseiro, teve Marafona na baliza, um quarteto defensivo com Baiano, Boly, André Pinto e Goiano, um meio-campo de cinco homens com Mauro, Vukcevic, Tiba, Pedro Santos e Rafa e Stojilikovic no ataque.

Logo desde os instantes iniciais foi possível compreender as estratégias adotadas pelos dois técnicos. Como seria de prever, o Benfica surgiu em campo com um futebol apoiado, sustentado na posse de bola, com os minhotos a procurarem as bolas longas para as costas da defesa benfiquista. E quem abriu o marcador, logo ao décimo minuto da partida, foram os tricampeões.

Num lance de ataque pela esquerda, Cervi ficou com a bola e 'arrastou-a' do flanco para o meio, deixando Baiano e Boly pelo caminho. Com a baliza na mira, o argentino finalizou de pé direito para o poste mais próximo, abrindo assim o marcador. Um belo momento do reforço, que mais uma vez demonstrou (boas) semelhanças com Gaitán na criação de momentos de desequilíbrio.

Mesmo com a vantagem, o Benfica manteve o futebol pressionante e teve mais ocasiões para bater Marafona. Aos 16', um remate de Nélson Semedo ressaltou no braço de André Pinto e, depois de bater no chão, esbarrou no poste esquerdo da baliza bracarense. Aos 19', Cervi rematou por cima.

O Sporting de Braga, porém, teve também oportunidades para chegar à igualdade antes do intervalo - bem antes do clamoroso falhanço de Rafa do segundo tempo. Aos 23', Pedro Santos atirou para defesa de Júlio César e aos 38' foi Rafa quem não conseguiu finalizar após um belo cruzamento do mesmo Pedro Santos.

O segundo tempo trouxe mais emoção ao Municipal de Aveiro, com a elevada intensidade do primeiro tempo a manter-se. Aos 52 minutos, Júlio César respondeu da melhor forma a um cruzamento de Mauro e aos 57' foi Jonas quem rematou contra André Pinto depois de um grande trabalho de Grimaldo e Cervi, os novos donos do corredor esquerdo 'encarnado'.

O momento mais estranho da partida aconteceu aos 70', numa altura em que o Benfica ainda só vencia por 1-0. Na sequência de um contra-ataque veloz, Rafa ficou cara-a-cara com Júlio César e conseguiu contornar o guarda-redes brasileiro, mas desperdiçou de forma incrível com a baliza deserta. A bola foi às malhas laterais, Rafa baixou até perto da relva, incrédulo com o falhanço.

E já que o Sporting de Braga desperdiçou, o Benfica aproveitou. Aos 75', em mais uma grande jogada dos 'encarnados', Jonas passou por um defesa com um toque de classe, tabelou com Pizzi e agradeceu o belo passe do médio com uma finalização 'à matador' frente a Marafona. 2-0 para a equipa de Rui Vitória e o triunfo muito bem encaminhado.

Houve, no entanto, ainda tempo para mais um momento de magia em Aveiro, desta vez de Pizzi, em cima do minuto 90. O médio recebeu a bola fora da área e fez um fantástico chapéu sobre Marafona para fechar o resultado numa leve goleada. O Benfica leva para a Luz a sexta Supertaça e abre da melhor forma a nova época.

Conteúdo publicado por Sportinforma