Taça Confederações

17-06-2017 09:57

Ricardo: "Toda a gente vai querer ganhar à equipa campeã europeia"

Antigo guarda-redes diz ter as “melhores expectativas” para a estreia de Portugal
ricardo pereira
Foto: scp

Ricardo Pereira, antigo guarda-redes da seleção

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Portugal disputa pela primeira vez a Taça das Confederações, por via do estatuto de campeão europeu de futebol, e o ex-guarda-redes Ricardo assume ter as "melhores expectativas" para o desempenho da equipa das ‘quinas’ na Rússia.

Em declarações à agência Lusa, o antigo internacional português relembra que a "ambição é a mesma" entre os jogadores após a conquista do Euro2016 e recusa que a seleção possa acusar algum tipo de inexperiência por fazer a sua estreia nesta competição.

"Depois de termos sido campeões da Europa é a primeira vez que vamos disputar um campeonato destes. Além de ser a primeira vez, é também uma boa oportunidade para continuar a competir ao mais alto nível pela seleção e tentar chegar o mais longe possível. Se for possível ganhar, melhor", adianta.

Para Ricardo, que esteve presente em dois Mundiais e dois Europeus, o estatuto de campeão continental alcançado no ano passado, e a forma como isso pode influenciar a postura dos adversários, não deixa de ser encarado de forma positiva.

"Deu-nos um outro estatuto. Por sermos os campeões, toda a gente vai querer ganhar à equipa campeã. Quem nos dera que em todas as competições em que Portugal entrasse tivesse sempre o estatuto maior. Era sinal que ganhávamos", referiu.

Recusando comparar os 23 eleitos para a Taça das Confederações com o grupo que se sagrou vencedor no último Campeonato da Europa, o antigo guarda-redes lembra apenas que Portugal tem "tanta ou mais qualidade do que as outras seleções" presentes e avisa para a importância de estar atento a todos os detalhes.

"Depois, a pontinha de sorte que também faz falta ditará o sucesso ou do insucesso de chegarmos até ao fim e o sonhar em ganhar mais uma competição. Serão os pequenos detalhes a fazer a diferença", explica.

Sobre o México, o primeiro adversário da seleção no Grupo A, no qual estão também inseridas a Rússia e a Nova Zelândia, Ricardo garante ser "uma seleção muito técnica" e com jogadores "muito aguerridos", recordando a sua experiência no Portugal-México do Mundial 2006, que terminou com a vitória lusa, por 2-1, com golos de Maniche e Simão Sabrosa.

"Ganhámos, mas já não me lembro muito desse jogo. Controlámos bem o desafio e foi mais disputado a meio-campo, mas eles tinham uma excelente equipa e um guarda-redes fantástico", resume.

Portugal estreia-se frente ao México, em Kazan, no domingo, às 18:00 locais (16:00 em Lisboa), defrontando a Rússia no dia 21, em Moscovo, e encerra a participação no Grupo A diante da Nova Zelândia a 24 de junho, em São Petersburgo. A Taça das Confederações decorre na Rússia entre sábado e 02 de julho.

Conteúdo publicado por Sportinforma