Taça das Confederações

03-07-2017 12:45

Um terceiro lugar na estreia da prova que antecede o Mundial não está nada mal

Os campeões europeus perderam nas meias-finais com o Chile mas conseguiram, na Rússia, a medalha de bronze ao bater o México no prolongamento.
Fernando Santos durante um treino da seleção

Fernando Santos durante um treino da seleção

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

A fase de grupos

Tal como tinha acontecido na fase de grupos do Euro 2016, em que somou por empates os três primeiros jogos, a equipa de Fernando Santos começou a cozinhar mais um nulo, desta feita na estreia na Taça das Confederações, numa espécie de sequela do início da competição em França em que Portugal viria a conhecer a glória. O resultado não foi escandalosamente negativo, mas houve ilações a tirar. A equipa das quinas esteve por duas vezes em vantagem e deixou-se empatar. A fórmula foi a mesma do Europeu, com Ronaldo a ser o homem da frente. André Silva e Gelson ficaram no banco e perdeu-se a irreverência que Portugal tinha demonstrado nos últimos jogos. Saltou para a titularidade Quaresma. Num compromisso contra uma equipa de valor elevado, Portugal claudicou e não conseguiu averbar os três pontos.


Na segunda jornada do Grupo A, a seleção portuguesa venceu a anfitriã Rússia por 1-0, com o capitão Cristiano Ronaldo a marcar o único golo. Portugal esteve melhor no primeiro tempo, sofreu na etapa complementar, mas conseguiu os três pontos para as contas do Grupo A, somando quatro, os mesmos do México. O México tinha vencido a Nova Zelândia (2-1) e ficava com os mesmos (4) pontos. A Rússia tinha com três e a Nova Zelândia zero. Após a partida frente à Rússia, Raphael Guerreiro foi transportado para o hospital com uma suspeita de fratura, ficando de fora da Taça das Confederações. O jogador saiu ao minuto 66, sendo substituído por Eliseu.

Na última jornada da fase de grupos, Portugal venceu a Nova Zelândia por 4-0 e confirmava assim a presença nas meias-finais da Taça das Confederações. Com dois golos em cada metade do encontro, Ronaldo, Bernardo Silva, André Silva e Nani fizeram os tentos do encontro que garantiu a primeira posição do grupo A. O México acompanhava a seleção nacional para a próxima fase. Cristiano Ronaldo foi eleito pela terceira vez o melhor jogador em campo. O avançado foi o único jogador a conseguir conquistar a marca em todos os jogos da fase de grupos da Taça das Confederações.

A meia-final

Algum dia tinha de cair para o outro lado. A derrota de Portugal frente ao Chile, nas meias-finais da Taça das Confederações não pode ser encarado com tanto drama. Desde que Fernando Santos assumiu a equipa que a seleção lusa vem demonstrando dificuldades para jogar contra formações mais fortes. No Euro fez três empates na fase de grupos, afastou a Croácia com um golo no prolongamento, eliminou a Polónia nos penáltis e bateu a França na final com os deuses do futebol a guiarem o pé direito de Éder e Patrício a ser gigante. Só nas meias-finais frente ao País de Gales ganhou com menos sofrimento. Na passada quarta-feira frente ao campeão sul-americano, Fernando Santos mexeu mal na equipa e pagou a fatura no final. A falta de pontaria nos penáltis voltou a tramar os lusos. Nas grandes penalidades, o Chile mostrou mais arte e cabeça fria e converteu todos os que marcou (só precisou de marcar três dos cinco obrigatórios), contra Portugal que não fez marcou qualquer penálti. Quaresma, Moutinho e Nani viram os seus remates serem defendidos por Bravo. Curiosamente, três jogadores que acertaram na baliza no Euro2016, quando Portugal eliminou a Polónia nas grandes penalidades. É, o futebol é mesmo assim...

Em busca do terceiro lugar

Portugal venceu o México 2-1 no jogo de atribuição do terceiro e quarto lugar e terminou no terceiro posto da Taça das Confederações. Depois da eliminação perante o Chile, a seleção lusa venceu os ‘aztecas’ no prolongamento com um golo de Adrien Silva. Antes, Neto – auto golo – e Pepe fizeram o marcador que levaram a partida para o prolongamento empatada 1-1.


Ranking da FIFA

Portugal deve subir quatro lugares no ranking da FIFA depois de ter conquistado o terceiro lugar na competição. A prestação lusa na competição russa vai ter repercussões como a subida ao quarto posto do ranking total.

Conteúdo publicado por Sportinforma