Benfica

04-02-2017 11:10

Jorge Jesus como argumento para contestar suspensão de Rui Vitória

A suspensão do treinador do Benfica por 15 dias gerou indignação no seio do clube da Luz.
Rui Vitória
Foto: LUÍS FORRA / LUSA

Rui Vitória no encontro com o Moreirense.

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

A suspensão de 15 dias aplicada a Rui Vitória na sequência da expulsão no final da partida com o Moreirense, referente às meias-finais da Taça da Liga, é fortemente criticada no seio do Benfica. O diretor do departamento jurídico da SAD 'encarnada', Paulo Gonçalves, contestou o castigo e usou o exemplo de Jorge Jesus, expulso no V. Setúbal-Sporting, como argumento.

"Aquilo que Rui Vitória fez seria merecedor de multa, não da suspensão que foi. Toda a gente viu a forma serena como se dirigiu à equipa de arbitragem, cumprimentou-os e depois fez a crítica que entendia. Disse: ‘Como é possível seis elementos da equipa de arbitragem não verem duas situações irregulares que deram em golo? É uma vergonha’", salientou Paulo Gonçalves em declarações ao canal do Benfica.

"Levou 15 dias porque foi considerado reincidente. E todos nos lembramos do que se passou com Jorge Jesus no final do jogo com o V. Setúbal, na Taça da Liga, em que após ter sido assinalado uma grande penalidade contra o Sporting no último minuto, correu para o fiscal de linha e disse-lhe na cara: ‘Foste tu que marcaste o penalty. És um vendido’. É isto que está no relatório de jogo. Além de que os árbitros só conseguiram sair do relvado com proteção policial. E apanhou os mesmos 15 dias de Rui Vitória?", prosseguiu.

"O treinador do Benfica é considerado reincidente e Jorge Jesus, que tem vociferado nos últimos dois anos em tudo o que é sítio contra os árbitros, pasme-se, teve agora o primeiro castigo... Ele é Jesus mas não é imaculado", rematou o dirigente.

Conteúdo publicado por Sportinforma