Taça de Portugal

23-05-2017 18:41

Hermínio Loureiro revela foi distribuído um valor recorde de 4,5 ME pelos clubes

Na edição desta Taça de Portugal, a FPF aumentou em cerca de 30 por cento a verba a distribuir pelos emblemas que participaram na competição.
Hermínio Loureiro
Foto: © 2009

Hermínio Loureiro

Por André Delgado sapodesporto@sapo.pt

Hermínio Loureiro, vicepresidente da FPF, salientou que foram distribuídos 4,5 milhões pelos clubes na edição deste ano da Taça de Portugal, valor que constitui um recorde na competição.

O responsável da Federação Portuguesa de Futebol sublinhou que houve um reforço de um milhão de euros no valor dos prémios e que a alteração dos regulamentos permitiu aumentar o número de "jogos das equipas não profissionais".

"Houve uma distribuição de 4,5 milhões de euros para os clubes e um reforço de um milhão de euros (Em relação ao ano passado), que é o maior valor de sempre distribuído", referiu durante o evento de apresentação da final da Taça de Portugal, que decorreu esta terça-feira na Cidade do Futebol.

Em relação à distribuição do 'bolo' pelos clubes, o dirigente revelou que perto "de 40%" reverte para os "para os clubes não profissionais", quando em 2012/2013 essa percentagem era de cerca de "14%".

Hermínio Loureiro destacou ainda o aumento do número das equipas não profissionais na prova.

"77,4 % de clubes que estiveram na prova que não são profissionais. Na 5ª eliminatória, 25% dos clubes eram do Campeonato de Portugal".

Carlos Lucas, diretor de competições da FPF, revelou que as portas do estádio do Jamor "vão abrir às 14h45", aproveitando a ocasião para convidar as pessoas que vão assistir à final da Taça de Portugal a dirigirem-se cedo para o estádio e para seguirem para "a festa de transportes públicos". Carlos Lucas prometeu ainda que "a cerimónia de abertura vai ficar na memória".

Benfica e V. Guimarães disputam no próximo domingo a final da Taça de Portugal.

Conteúdo publicado por Sportinforma