Final Taça de Portugal

28-05-2017 17:50

Saiba como funciona o vídeo-árbitro

Hugo Miguel, da Associação de Futebol de Lisboa, tem Artur Soares Dias e Jorge Sousa, ambos da Associação de Futebol do Porto, como assistentes de vídeo-árbitro.
Estádio Nacional do Jamor

Final da 'Prova Rainha' estreia vídeo-árbitro no Estádio do Jamor

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

A final da Taça de Portugal de futebol entre Benfica e Vitória de Guimarães é o primeiro jogo decisivo de provas nacionais, a nível mundial, a recorrer oficialmente ao vídeo-árbitro.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) confirmou a 07 de abril a utilização do vídeo-árbitro no embate entre vitorianos e ‘encarnados’, o primeiro jogo oficial do país a recorrer ao sistema de comunicação entre o árbitro de campo e os árbitros a cargo das imagens em direto.

O organismo responsável pelo futebol nacional anunciou na segunda-feira que Hugo Miguel, da Associação de Futebol de Lisboa, vai ser o árbitro da final da ‘prova rainha' e que Artur Soares Dias e Jorge Sousa, ambos da Associação de Futebol do Porto, vão ser os assistentes de vídeo-árbitro.

O sistema, a cargo dos árbitros da Associação do Porto, estar "instalado numa ‘régie'" e permite aceder a "todos os ângulos de câmara disponíveis no estádio", segundo um vídeo publicado no sítio oficial da FPF, na quarta-feira, podendo "ser utilizado" em "quatro situações de jogo": golos, penáltis, cartões vermelhos diretos e identidades trocadas.

Quando algum incidente se enquadra nas quatro situações contempladas pelo sistema, o "árbitro pede ajuda" ou o "vídeo-árbitro indica que há um incidente que deve ser revisto", explica o vídeo da FPF, avançando, depois, que o árbitro de campo é aconselhado após a consulta das imagens.

Na sequência do conselho do vídeo-árbitro, o árbitro de campo pode "parar a partida para, fora das linhas do jogo, "rever o lance" e "tomar a medida apropriada" ou "aceitar o conselho" e "agir de acordo com essa informação".

Jorge Sousa explicou que o vídeo-árbitro só vai dar o "seu parecer de alteração à decisão inicial do árbitro" caso a mesma esteja "completamente errada" e defendeu que o sistema vai "trazer mais justiça e mais verdade desportiva".

"Existirão erros que poderão ser alterados através deste novo processo", disse o árbitro num vídeo publicado no sítio oficial da FPF.

Jorge Sousa avisou ainda que o vídeo-árbitro não vai servir de "medicamente milagroso" para "acabar com as polémicas do futebol", ao passo que Artur Soares Dias frisou que o sistema vai corrigir "lapsos claramente identificados, apesar de ditar "um período de adaptação" aos árbitros.

A FPF já promoveu sessões de esclarecimento sobre o vídeo-árbitro junto dos dois clubes finalistas - Vitória de Guimarães, a 15 de maio, e Benfica, a 17 de maio -, através do vice-presidente da secção profissional do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa, João Ferreira.

Veja os vídeos

Conteúdo publicado por Sportinforma