Futebol de praia

17-06-2017 23:45

Sporting de Braga lamenta incidentes no jogo de futebol de praia com Sporting

Emblema minhoto criticou o comportamento de alguns adeptos do Sporting no jogo da segunda jornada da Divisão de Elite do Nacional de futebol de praia.
Braga nos quartos-de-final da Euro Winners Cup de futebol de praia
Foto: Crédito: Beach Soccer (reprodução do Facebook do Braga)

Jogadores do SC Braga celebram um golo

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Sporting de Braga lamentou hoje “profundamente” a interrupção do encontro com o Sporting, da segunda jornada da Divisão de Elite do Nacional de futebol de praia, disputado em Sesimbra.

“O jogo Sporting de Braga-Sporting, que decorreu em Sesimbra (...), foi interrompido a 2.47 minutos do final do terceiro e último período, quando o Sporting de Braga vencia por 5-3”, anunciou o clube ‘arsenalista’, num comunicado publicado no seu sítio oficial na Internet.

O clube bracarense “lamenta profundamente” o sucedido, “por constituir uma péssima propaganda para a modalidade”, mas adianta que era algo “que se temia desde o início, dada a atitude provocatória e intimidatória manifestada por espectadores afetos ao Sporting e claramente identificados como pertencendo a grupos organizados de adeptos”.

Ainda segundo o comunicado, estes adeptos “colocaram em causa o decurso do encontro e a integridade física dos seus protagonistas, nomeadamente a equipa de arbitragem e os jogadores e staff do Sporting de Braga”.

“O escasso dispositivo policial presente, assegurado pela Polícia Marítima, assistiu impávido e sereno ao escalar da tensão, não atuando nem correspondendo ao pedido de reforços que, segundo nos foi comunicado, foi solicitado pelos responsáveis da Federação Portuguesa de Futebol presentes no local”, prosseguem os ‘arsenalistas”.

Ainda de acordo com os bracarenses e, na “iminência” da sua vitória, “as ameaças vindas das bancadas transformaram-se em agressões no terreno de jogo, visando os jogadores do Sporting de Braga e em especial Zé Maria, bem como a equipa de arbitragem”.

“Interrompido o encontro, acrescenta-se que a comitiva do Sporting de Braga só conseguiu abandonar o recinto muito tempo depois e sob escolta da Guarda Nacional Republicana, num cenário indigno para a competição”, lamenta.

Desta forma, o clube minhoto “exige tomadas de posição firmes que garantam que tais acontecimentos não se possam verificar no futuro, esperando, portanto, que os órgãos disciplinares e que a organização da competição, em consonância com as forças de segurança, tomem e anunciem medidas”.

“O Sporting de Braga aguarda ainda que do relatório do árbitro e da organização do jogo saia, por parte do Conselho de Disciplina, uma decisão célere quanto a este encontro que, recorde-se, a nossa equipa vencia por 5-3 a 2.47 minutos do final, altura em que adeptos afetos ao Sporting invadiram o recinto do jogo, concretizando ameaças físicas aos nossos jogadores e à equipa de arbitragem”, diz ainda o comunicado.

A finalizar, o Sporting de Braga lembra que se aproxima a final do campeonato de futsal, que vai opor igualmente os dois clubes.

“Face ao clima entretanto criado e que em nada abona em favor da sã competitividade, o Sporting de Braga espera que, em vésperas de um importante encontro de futsal entre estes mesmos clubes, também organizado pela Federação Portuguesa de Futebol, sejam reforçadas as medidas com vista à garantia de todas as condições de segurança, dentro e fora do terreno de jogo”, finaliza o documento.

Conteúdo publicado por Sportinforma