Futsal

16-09-2016 18:08

Diretor de comunicação do Sporting volta a atacar o Benfica

Diretor de comunicação do Sporting comentou o pedido de impugnação do título de futsal por parte dos ´encarnados`.
Miguel Castro e Bruno Coelho disputam uma bola durante o quarto jogo da final do play-off da Liga
Foto: José Sena Goulão

O jogador do Sporting Clube de Portugal Miguel Castro (E) disputa a bola com Bruno Coelho do SL Benfica durante o quarto jogo da final do play-off da Liga, no Pavilhão Multiusos em Odivelas, 14 de Junho de 2015.

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Depois de o Benfica ter avançado com a possibilidade de impugnação do título de futsal conquistado pelo Sporting na época passada, Nuno Saraiva voltou a lançar farpas aos encarnados. Através das redes sociais, o diretor de comunicação do clube leonino afirmou que as ações das águias têm o objetivo de ganhar na secretaria o que não conseguem no campo.

“Quando não se é competente para ganhar dentro de campo tenta-se vencer no campeonato da secretaria. Em oito dérbis disputados na época passada o que aconteceu foi isto: oito jogos, seis vitórias e duas derrotas. Posto isto e perante a realidade dos factos, se quiserem ver o troféu de Campeão Nacional estamos disponíveis para vos receber no Museu Sporting", escreveu o dirigente nas redes sociais.

O Benfica está a analisar a possibilidade de pedir a impugnação do campeonato nacional de futsal 2015/16, cujo título foi conquistado pelo Sporting, depois de o TAD dar parcialmente razão aos ‘encarnados’, em acórdão de 06 de setembro.

Segundo o TAD, o Benfica não deveria ter sido punido com uma derrota, estando em causa um jogo no Estádio da Luz com o Belenenses, cuja transmissão televisiva em diferido levou o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a entender que tinha existido uma violação do regulamento disciplinar.

O regulamento diz na alínea c do artigo 80.º que a transmissão em diferido da totalidade do jogo impõe “a sanção de derrota no jogo em causa e multa a fixar entre 4 e 10 UC (unidades de conta)”.

O TAD entendeu, porém, não aplicar essa mesma alínea, “com fundamento na violação do princípio da proporcionalidade previsto no artigo 7.º do CPA (Código do Procedimento Administrativo)”.

No seu acórdão, o tribunal diz ainda que a ofensa ao princípio da proporcionalidade é agravada pela forma como foi afetado um terceiro, os Leões de Porto Salvo, que se traduziu na impossibilidade de disputa do ‘play off’ do Nacional.

A derrota ao Benfica atribuída pelo CD da FPF resultou em vitória e consequentes três pontos, do Belenenses, que viriam a terminar a fase regular em oitavo lugar apenas dois pontos à frente dos Leões de Porto Salvo e apurados para a fase final.

Os Leões de Porto Salvo, por sua vez, esperam esgotarem-se os recursos para tomar posição.

Recorde-se de que o Sporting conquistou o campeonato ao Benfica na final. O leões terminaram a série nos 3-1 em pleno Pavilhão da Luz.

Conteúdo publicado por Sportinforma