Futsal

16-09-2016 15:50

Porto Salvo espera que se esgotem recursos para tomar posição

Em causa está um jogo no Estádio da Luz com o Belenenses, cuja transmissão televisiva em diferido levou o CD da FPF a entender que tinha existido uma violação do regulamento disciplinar.
Futsal: Benfica vs Sporting
Foto: Lusa

Alessandro Patias, jogador do Benfica

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os Leões de Porto Salvo esperam esgotarem-se os recursos para tomar posição sobre a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) em ‘devolver’ a vitória do Benfica sobre o Belenenses.

Em causa está um jogo no Estádio da Luz com o Belenenses, cuja transmissão televisiva em diferido levou o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a entender que tinha existido uma violação do regulamento disciplinar e a atribuir a derrota do Benfica.

A decisão deu os três pontos ao Belenenses, significando que a classificação final, que determinou as vagas para o ‘play-off’, deixou a formação do Restelo (8.ª) com mais dois pontos do que os Leões de Porto (9.º).

“Só depois de haver uma decisão final continuaremos a lutar por aquilo que são os nossos direitos”, disse hoje o presidente do clube, Jorge Delgado, à agência Lusa, explicando que a decisão do TAD ainda é passível de recurso.

Jorge Delgado foi taxativo: “Não escondo que nos sentimos lesados e penalizados por uma situação que foi ganha dentro de campo e depois uma decisão que na altura achámos estranha, da Comissão de Disciplina da FPF, e que não fazia sentido”.

O responsável máximo da equipa de Porto Salvo entende que o acórdão de 06 de setembro do Tribunal Arbitral do Desporto, após recurso do Benfica e dos próprios Leões de Porto Salvo, vem legitimar aquilo que o clube defendia.

“Agora o Tribunal arbitral vem repor uma decisão que vem legitimar aquilo que pensávamos em relação ao tema. Também apresentámos o devido recurso em relação à situação, não foi só o Benfica que apresentou”, adiantou.

Jorge Delgado não tem, para já, uma posição tomada, face ao provimento parcial dado (vitória do Benfica e derrota do Belenenses), mas defende que não é apologista de situações drásticas, pretendendo ser parte de uma solução, que valorize o futsal.

“Não escondo que os Leões de Porto Salvo não deixarão de reivindicar os seus direitos, por nos sentirmos prejudicados. Foi diferente não termos ido ao ‘play off’, em todos os níveis, prestígio, patrocínios, expetativas”, explicou.

Já hoje, fonte do Benfica confirmou que o clube está a analisar a possibilidade de pedir a impugnação do campeonato nacional de futsal.

O presidente dos Leões de Porto Salvo não fala em impugnar o campeonato e que cada clube fala por si, mas que agora só pode dizer que aguarda por uma decisão definitiva e que só na devida altura tomará a decisão que considerar melhor.

“Os Leões ou se contentam e não fazem mais nada, porque foi reposta a verdade ética e moral, ou sentem que foram prejudicados materialmente num conjunto de expetativas e podem haver outras vias. É preciso ter calma e ponderação, mas que não haja dúvidas que os Leões vão defender os seus direitos”, concluiu Jorge Delgado.

Conteúdo publicado por Sportinforma