Tóquio2020

09-08-2016 13:44

Governadora pede à organização de Tóquio2020 para cortar custos

O presidente do comité organizador dos Jogos Olímpicos aceitou estudar as medidas para acabar com os gastos da cidade.
Yuriko Koike
Foto: KIYOSHI OTA / EPA

Yuriko Koike, governadora de Tóquio.

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, pediu esta terça-feira ao presidente do comité organizador dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, Yoshiro Mori, para cortar os custos do projeto até aos níveis que sejam aceitáveis para os residentes da capital.

Na primeira reunião entre Yuriko Koike e Yoshiro Mori, desde que o presidente do comité assumiu o poder frente ao governo da capital no passado dia 2 de agosto, o antigo primeiro-ministro aceitou estudar as medidas para acabar com os gastos da cidade, segundo dados recolhidos pela cadeia NHK.

Ambos reconheceram ser essencial a cooperação entre o Governo da Área Metropolitana de Tóquio, o comité organizador e o Governo, para que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos sejam um êxito.

Koike disse estar ao corrente dos custos excessivos do evento, superiores aos que estavam inicialmente previstos, pois é relevante decidir a quantidade que é paga por cada parte envolvida.

A veterana da política e primeira mulher a assumir o Governo da cidade anunciou a semana passada a intenção de rever as contas de Tóquio2020 “para comprovar que o orçamento é adequado”.

A organização de Tóquio2020 tem enfrentado algumas polémicas, entre as quais o redimensionamento do estádio olímpico, após o custo das obras ter duplicado, que obrigou a um novo concurso, cuja construção deverá ocorrer entre o início de 2017 e as vésperas dos Jogos.

A isso soma-se o ruído provocado pelas acusações de plágio ao logótipo da competição, pelo Teatro de Liège, que levaram à substituição do original, assim como a investigação em curso sobre presumíveis subornos por parte da candidatura nipónica.

Conteúdo publicado por Sportinforma