Investigação

01-09-2016 10:18

Não houve corrupção na atribuição dos Jogos Olímpicos Tóquio2020

Em causa está um depósito de 1,8 milhões de euros, feito pelo comité da candidatura Tóquio2020 numa conta da empresa Black Tidings.
Jogos olimpicos toquio 2020

Jogos Olímpicos de 2020

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

A investigação formal sobre alegadas suspeitas de subornos na atribuição dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 não encontrou quaisquer suspeitas de atividades ilegais, anunciou hoje o Comité Olímpico do Japão (COJ).

“Conclui-se que o comité de candidatura não violou qualquer lei do país”, refere um comunicado do COJ.

Em causa está um depósito de 1,8 milhões de euros, feito pelo comité da candidatura Tóquio2020 numa conta da empresa Black Tidings, à qual está ligado Papa Massata Diack, filho de Lamine antigo presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

Em maio, as autoridades francesas anunciaram ter aberto uma investigação sobre o caso, que também mereceu comentários no comunicado do COJ: “A investigação concluiu também que não existiu também qualquer violação das leis francesas, nem do código de ética do Comité Olímpico Internacional”.

Também em maio, o COJ anunciou a criação de uma comissão de inquérito para analisar eventuais irregularidades em pagamentos suspeitos de terem beneficiado a candidatura nipónica aos Jogos Olímpicos de 2020.

“Decidimos criar uma comissão de inquérito, que incluirá advogados externos, para determinar se houve irregularidades em alguns contratos”, afirmou o presidente do COJ, Tsunekazu Takeda, em declarações no parlamento nipónico.

Conteúdo publicado por Sportinforma