Tóquio2020

28-11-2016 09:18

Sedes de remo, voleibol e natação alvo de cortes de 8.500 ME

As alterações ficam a dever-se a poupanças nos orçamentos inicialmente apresentados.
Tóquio 2020
Foto: TORU YAMANAKA / AFP

Tóquio 2020

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A Organização dos Jogos Tóquio2020, Comité Olímpico Internacional, Governo japonês e município da capital nipónica vão apresentar na terça-feira uma nova distribuição das sedes para três modalidades, de modo a poupar 8.500 milhões de euros. Em concreto, estão em cima da mesa a alteração das sedes inicialmente previstas para remo e canoagem, voleibol e natação.

As quatro partes estão reunidas desde domingo para analisar o impacto técnico e económico das alterações propostas, devendo ser apresentadas na terça-feira as conclusões finais.

No caso do remo e canoagem, cujo orçamento inicial, projetado para a baía de Tóquio, estimava um custo de 436 milhões de euros, avalia-se a possibilidade de transferir as provas para as instalações já existentes em Miyagi.

Quanto ao voleibol, os responsáveis avaliam a possibilidade de reduzir a dimensão no novo recinto Ariake Arena e adaptar o estádio de Yokohama. No que respeita à natação, pondera-se reduzir a capacidade do novo Centro Aquático de Tóquio de 20.000 para 15.000 espetadores.

A proposta foi apresentada a 22 de novembro pelo comité organizador e, se for aprovada, o orçamento global do evento ficará fixado em quase 17.000 milhões de euros.

As contas finais ficarão definidas depois de aprovadas alterações aos locais das sedes de algumas modalidades de forma a reduzir custos. A primeira estimativa, apresentada ao COI em 2013, ainda no processo de candidatura, rondava os 6.300 milhões de euros.

Conteúdo publicado por Sportinforma