Desporto

23-05-2017 11:01

Paralímpicos voltam a ter comissão de atletas

Órgão será presidido pela velocista Carolina Duarte.
Carolina Duarte, a campeã europeia dos 100 metros T13 que sonha com um pódio
Foto: António Cotrim

Carolina Duarte, a campeã europeia dos 100 metros T13

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

A comissão de atletas paralímpicos, recentemente eleita, quer voltar a ser a voz dos atletas, ter a maior abrangência possível em termos de representatividade e começar já a preparar contributos para as negociações do contrato-programa Tóquio2020.

O órgão, que não estava em funcionamento há vários anos, será presidido pela velocista Carolina Duarte e integra a atleta de boccia Carla Oliveira, o nadador David Grachat, o judoca Miguel Vieira e o atleta Lenine Cunha.

“Seremos a voz oficial dos atletas, além de termos assento na comissão executiva, o que nos dá direito a votar em todas as decisões que sejam tomadas, também nos podemos fazer representar junto de outras entidades governamentais”, disse Carolina Duarte à agência Lusa.

A atleta, que se estreou nos Jogos Paralímpicos Rio2016, considerou particularmente importante o facto de os atletas terem conseguido eleger uma comissão este ano.

“Este ano vai discutir-se o contrato-programa para Tóquio2020, era fundamental esta comissão ser formada agora”, frisou.

Carolina Duarte garante que os atletas tiveram todo o apoio do Comité Paralímpico para a criação da comissão e explica que já foi criado um grupo no Facebook para recolher contributos de atletas e técnicos.

A atleta destaca o facto de a comissão ter um a composição heterogénea com atletas de várias modalidades e de várias áreas da deficiência.

“Assim conseguimos criar sinergias ainda mais positivas, queremos representar todos”, garante a atleta, que em junho de 2016 se sagrou campeã europeia dos 100 metros T13 (deficiência visual).

A comissão de atletas paralímpicos esteve sem funcionar durante vários anos e a sua ‘reativação’ era um dos objetivos de candidatura do atual presidente do Comité Paralímpico de Portugal (CPP), José Lourenço.

Conteúdo publicado por Sportinforma