Jogos Olímpicos

06-07-2017 23:14

Luís Horta denuncia alegadas irregularidades em controles anti-doping no Brasil

A 24 de junho, o laboratório brasileiro tinha sido suspenso provisoriamente pela AMA por algumas incoerências no seu funcionamento.
Luís Horta abandona a presidência da Autoridade Antidopagem de Portugal
Foto: LUSA

Luís Horta denuncia alegadas irregularidades em controles anti-doping no Brasil

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O antigo responsável da Agência Antidopagem Portuguesa e ex-conselheiro da agência brasileira Luís Horta denunciou hoje alegadas irregularidades nas inspeções a atletas realizadas antes do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016.

Em entrevista ao diário brasileiro O Estado de São Paulo, o médico português, contratado então como consultor internacional da Autoridade Brasileira de Controle Antidoping (ABCD), acusou o Ministério do Desporto e o Comité Olímpico Brasileiro (COB) de criarem dificuldades aos controles antidoping e sufocarem o combate às irregularidades.

“Começámos a sentir cada vez mais dificuldades em conseguir viagens para que os nossos técnicos pudessem realizar os controlos aos atletas. Tínhamos também muitos problemas para transportar o nosso equipamento”, disse.

Na entrevista, Luís Horta admite a possibilidade de ter existido uma estratégia por parte das autoridades brasileiras para levar o país a ganhar medalhas a todo o custo.

“Antes de chegar sabia que a situação era difícil, mas nunca pensei que fosse tão grave e que a estratégia de doping fosse tão sofisticada”, declarou.

Em agosto de 2016, a Agência Mundial Antidopagem (AMA) lançou duras críticas ao Governo brasileiro, bem como à filiada ‘canarinha’, pelos critérios praticamente nulos na aplicação de controlos aos atletas do país.

A AMA denunciou na altura que, no mês que antecedeu a Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos Rio2016, praticamente nenhum atleta brasileiro foi submetido a controlos antidoping.

Conteúdo publicado por Sportinforma