Rio'2016

04-08-2016 17:09

José Carvalho ambiciona final na canoagem slalom

O canoísta luso foi repescado para estes Jogos do Rio'2016.
José Carvalho
Foto: IMRE FOELDI / EPA

José Carvalho vai competir em C1 Slalom

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O português José Carvalho disse hoje acreditar que tudo é possível na sua estreia olímpica na canoagem slalom, mas prefere apontar como objetivo para os Jogos do Rio'2016 a presença na final.
"Neste momento, o objetivo é entrar na final. Tudo o que vier depois, é bom. Costumo dizer que as coisas são passo a passo. Primeiro tenho de passar a qualificação, depois da semifinal para a final. Não sei. Tudo é possível. Se estiver na final, logo se verá o que acontece", disse o canoísta, à margem da cerimónia do hastear da bandeira nacional na Aldeia Olímpica.
Depois de ter falhado o apuramento no Mundial de 2015 por apenas 0,03 segundos, José Carvalho, que já tinha ficado à ‘porta’ de Londres2012 por uma vaga, teve de esperar dez meses para ver a Federação Internacional de Canoagem repescá-lo para ocupar a vaga em C1 slalom.
"É sempre um bocado frustrante estar desde setembro até esta altura sem ter o apuramento. Mas lutei, treinei sempre com vista aos Jogos Olímpicos", recordou, assumindo que viveu dias de ansiedade na esperança que ‘libertassem’ uma vaga que lhe permitisse estar no Rio de Janeiro.
Por isso, o canoísta-empresário (tem uma empresa de ferragens em Amarante) recebeu com "muita alegria" a boa-nova, no passado dia 12 de julho.
"É o sonho de qualquer atleta chegar aos Jogos Olímpicos. A competição é diferente de um Mundial, de um Campeonato da Europa. Aqui competimos um por país, enquanto num mundial são três. Não é mais fácil, mas abre outras portas", salientou.
Descartando qualquer tipo de ansiedade para a sua estreia olímpica, agendada para 07 de agosto, Carvalho acredita que o regresso da canoagem slalom aos Jogos Olímpicos depois de 16 anos de ausência - a última representante foi Florence Fernandes em Sydney2000 - não será um acontecimento sem continuidade.
"Depende do apoio que o slalom tenha. Se derem o mesmo apoio nos próximos quatro anos, é seguro que o slalom vai ter mais atletas nos jogos", considerou.
Conteúdo publicado por Sportinforma