Rio'2016

04-08-2016 21:37

Mesatenistas portugueses esperam estreia complicada

A estreia frente aos campeões europeus, a Áustria, eleva a fasquia da dificuldade para Portugal.
8b788694157aa8c382cb658914265b0cdb98f3f2.jpg
Foto: © 2015

Tiago Apolónia assume que o bom resultado de Londres'2012 aumenta a pressão

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os jogadores da seleção portuguesa de ténis de mesa assumiram hoje que o sorteio da prova de equipas não foi bom, com a Áustria, campeã europeia, a ser um adversário difícil na estreia nos Jogos Olímpicos Rio2016.
Depois do quinto lugar em Londres2012, a equipa de ténis de mesa chega ao Rio de Janeiro como uma das esperanças lusas para um bom resultado.
“É bom que os portugueses acompanhem e gostem do ténis de mesa e da nossa evolução e dos nossos resultados. O que nós prometemos é que vamos dar o nosso melhor. Não vamos falar já em medalhas, porque temos muitas eliminatórias para passar antes de sonhar com uma medalha. Vamos tentar sobreviver nas duas primeiras rondas e tentar alcançar um bom resultado para Portugal”, disse Marcos Freitas.
O madeirense assume que a primeira ronda “é crítica”, frente à campeã europeia Áustria, que “era a pior equipa que podia calhar”. “Mas já ganhámos e já perdemos [com a Áustria]. Se passarmos esse jogo, nos quartos de final [frente a Alemanha ou Taiwan] tudo é possível e podemos sonhar com um lugar mais alto”, assumiu.
Para Tiago Apolónia, o bom resultado de há quatro anos “aumenta um pouco a pressão”, mas também “dá mais energia e motivação para trabalhar dia a dia para alcançar os melhores resultados possíveis”. “A primeira ronda será complicada, vamos jogar contra os campeões de Europa, na vertente de equipas. As primeiras rondas [de individuais] são sempre complicadas, em especial com alguns jogadores que já fizeram algumas rondas antes. A minha perspetiva é preparar-me da melhor maneira para estar ao meu melhor nível”, assumiu.
Tal como Marcos Freitas, Tiago Apolónia apenas entrará na terceira ronda e, caso se qualifique, pode encontrar o alemão Dmitrij Ovtcharov, campeão europeu, um adversário que “preocupa”, embora o português se prefira concentrar na estreia.
“Neste momento só me preocupa a primeira ronda. Vai ser um jogo complicado. Um dos possíveis adversários é um atleta que jogou na minha equipa nas duas últimas épocas, ou seja, conhecemo-nos bem. Um dos outros, já perdi e já ganhei”, referiu.
João Monteiro, que apenas vai disputar a prova de equipas, diz que “vai ser uma ronda bastante complicada, frente ao campeão da Europa em título”.
“Venceram-nos inclusivamente nesse campeonato. Eu penso que iremos estar muito bem. Os meus colegas, com a vertente individual já feita, terão bastante rodagem. Vai ser muito difícil, mas tenho esperança que vamos bater a Áustria”, referiu.
No setor feminino, Fu Yu diz que é “um prazer enorme” e uma “coisa incrível” estar nos Jogos Olímpicos, preferindo não pensar em objetivos, mas sim “jogo a jogo”.
Já Shao Jieni, que também é uma estreante, diz que vai tentar ganhar o maior número de jogos possíveis e que estar nos 16 primeiros já era bom.
Conteúdo publicado por Sportinforma