Rio2016

04-08-2016 17:53

Todos os judocas e 31 nadadores russos autorizados a competir nos Jogos

As equipas russas de polo-aquático, natação sincronizada e de saltos para a água também vão poder participar.
Renat Saidov da Rússia (azul) em ação frente a Levani Matiashvili (white) da Geórgia
Foto: Lusa

Renat Saidov da Rússia (azul) em ação frente a Levani Matiashvili (white) da Geórgia

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os judocas russos e trinta e um nadadores, incluindo Vladimir Morozov e Nikita Lobintsev, que tinham recorrido da sua exclusão para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), vão participar nos Jogos Olímpicos Rio2016, anunciaram hoje as respetivas federações internacionais.

Os processos dos nadadores Yulia Efimova e Daria Ustinova ainda estão a ser analisados pelo TAS, enquanto Mikhail Dovgalyuk (4x200 m livre) e Natalia Lovtsova (50m livre), que integravam a equipa inicial de 35 elementos, foram excluídos, por não terem recorrido.

A Federação Internacional de Natação (FINA) confirmou ainda que as equipas russas de polo-aquático, natação sincronizada e de saltos para a água também vão poder participar nos Jogos Olímpicos Rio2016, mas que a atleta Anastasia Krapivina, da modalidade águas livres, está excluída.

A Federação Internacional de Judo (FIJ), por seu lado, confirmou a participação de todos os atletas russos qualificados para os Jogos nos torneios do Rio2016, a realizar de 06 a 12 de agosto, na Arena Carioca.

Integram a lista os judocas Irina Dolgova (-48 kg), Natalia Kuziutina (-52), Ekaterina Valkova (-63), Ksenia Chibisova (78), Beslan Mudranov (- 60), Mikhail Puliaev (-66), Denis Iartcev (-73), Khasan Khalmurzaev (-81), Kirill Denisov (-90), Tagir Khaibulaev (-100) e Renat Saidov (+100).

A FIJ esclareceu que todos os judocas russos passaram sem qualquer problema em muitos controlos antidopagem em competições internacionais antes do Rio2016.

A Rússia liderou o medalheiro do judo dos Jogos Olímpicos Londres 2012, com três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze.

As federações internacionais dão assim seguimento à recomendação do Comité Olímpico Internacional (COI), que lhes confiou a responsabilidade da decisão de aceitar ou excluir atletas russos nas competições dos Jogos Olímpicos.

A decisão contrária à exclusão total dos atletas russos foi tomada depois de a comissão executiva do COI ter analisado um relatório divulgado pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), segundo o qual o Governo russo dirigiu um programa de dopagem no desporto com apoio estatal, com participação ativa do ministro do Desporto e dos serviços secretos.

O Comité Olímpico Russo (COR) anunciou a lista de 387 atletas de 30 modalidades selecionados para o Rio2016, que incluía 68 cujo recurso foi rejeitado pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), quanto à exclusão coletiva imposta pela Associação de Federações Internacionais de Atletismo (IAAF), por violações ao código antidopagem e à carta olímpica.

A Rússia, segunda potência mundial do atletismo, atrás dos Estados Unidos, foi suspensa em novembro de 2015 após um ‘demolidor’ relatório independente da AMA, que denunciava um esquema de ‘doping’ generalizado e institucionalizado no país.

Conteúdo publicado por Sportinforma