Rio2016

06-08-2016 23:21

Nelson Oliveira vai estar no contrarrelógio apesar da queda

A queda de Oliveira deu-se a 38 quilómetros da meta, na traiçoeira descida de seis quilómetros desde a Vista Chinesa, no Rio de Janeiro.
 Nelson Oliveira
Foto: Lusa

Nelson Oliveira

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O ciclista português Nelson Oliveira escapou hoje ileso de uma aparatosa queda na prova de fundo de ciclismo de estrada do Rio2016, estando em condições de disputar o contrarrelógio olímpico na próxima quarta-feira.

"Já só faltava uma volta para o final e claro já ia a arriscar e se calhar não tinha necessidade, mas nós queremos sempre ir com os da frente. Sentia-me bem, as pernas estavam a corresponder. Na descida não consegui controlar a bicicleta. Travei e a roda de trás derrapou. Realmente a descida era muito perigosa e viu-se pelo [Vincenzo] Nibali, que estava cá para discutir a medalha de ouro, e pelos muitos outros que lá caíram. Eu fui mais um deles", descreveu o atual tricampeão nacional de contrarrelógio.

A queda de Oliveira deu-se a 38 quilómetros da meta, na traiçoeira descida de seis quilómetros desde a Vista Chinesa, no Rio de Janeiro, com o ciclista luso a ser projetado contra um poste.

"A estrada devia estar húmida, depois era muita curva, os ciclistas vêm a arriscar e é normal que quem vem no limite não consiga ter os mesmos reflexos. E a descida era realmente perigosa, acho que para uns Jogos Olímpicos é um risco demasiado grande. E depois as bermas também não eram as melhores, porque tinham uma valeta muito funda e eu quando cai parti a roda de trás e tive de esperar por uma nova bicicleta", recordou.

Depois de retomar a marcha, o ciclista da Movistar ia caindo outra vez. "Vinha com medo e quase caio outra vez e então decidi abandonar, porque não sabia como o corpo estava, não me doía nada na altura, mas depois vai doer", reconheceu.

Nelson Oliveira lembrou que tem de pensar no dia 10 de agosto, data chave para o grande objetivo da sua temporada, o contrarrelógio do Rio2016.

"Agora, na Aldeia Olímpica, vou ver se os fisioterapeutas ainda têm tempo de verem como está o meu corpo, principalmente a zona da coluna e as vértebras e espero que até quarta-feira o corpo recupere. À partida vai estar tudo bem", concluiu aquele que será o único representante luso no 'crono' dos Jogos Olímpicos.

Conteúdo publicado por Sportinforma