Rio'2016

10-08-2016 17:32

Primeiro-ministro italiano consola Pellegrini por falhar uma medalha no Rio

Federica Pellegrini foi a porta-estandarte de Itália na cerimónia de abertura.
Italian PM speaks on terror attack in Bangladesh
Foto: Lusa

Matteo Renzi, primeiro-ministro de Itália

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, animou e consolou hoje a nadadora italiana Federica Pellegrini, que quis mudar de vida depois de ter terminado em quarto lugar a final dos 200 livres dos Jogos Olímpicos do Rio2016.

“Lamento por ‘#Rio2016’. Mas obrigado do fundo do coração a @mafaldina88 (Federica Pellegrini), uma das atletas mais fortes da história”, afirmou Renzi na sua conta oficial do Twitter, acompanhando o seu comentário com o rótulo de “orgulho tricolor”.

As palavras do primeiro-ministro ocorreram após a detentora do recorde mundial dos 200 livres ter manifestado o mau estar depois de ter ficado em quarto lugar na final da especialidade, numa prova ganha pela norte-americana Katie Ledecky.

“Não chegou a medalha, dói tanto este momento que não poderia descrevê-lo. Não é uma dor de alguém que aceita o que ocorreu, mas sim de quem sabe o que fez este ano e a determinação que coloquei”, disse Pellegrini na sua conta oficial do Instagram.

Na mesma nota, Pellegrini falou dos “gritos de dor e fadiga e o acordar de manhã depois de sete horas de sono”. “É sentir como se te tivessem dado socos. Sim, tenho 28 anos, mas ainda acreditava, lutei com tudo o que tinha e infelizmente perdi”, continuou a nadadora italiana.

A nadadora concluiu: "Talvez seja hora de mudar de vida, talvez não, a verdade é que poucas vezes senti um mau estar assim tão forte". Federica Pellegrini foi a porta-estandarte da equipa italiana nos Jogos Olímpicos do Rio2016.

Conteúdo publicado por Sportinforma