Rio2016 / Ginástica

11-08-2016 00:01

Diogo Abreu e Ana Rente apontam à final

Os dois ginastas garantem que os treinos no Rio de Janeiro têm corrido "muito bem".
Ana Rente, atleta olímpica de trampolim
Foto: COP

Ana Rente vai competir pela terceira vez nos Jogos Olímpicos

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Diogo Abreu e Ana Rente vão saltar nos trampolins do Rio2016 com a passagem à final em mente, com a mais experiente dos ginastas a não excluir o sonho das medalhas. “Tenho alguns objetivos. Posso referir o querer ir à final. São os oito primeiros – nós somos 16 no total nos trampolins. Ir aos oito primeiros é bastante difícil, mas é possível e é esse o meu primeiro objetivo. Depois, tudo o que vier é bónus. Primeiro, estou concentrado nas preliminares”, revelou Diogo Abreu.

Prestes a estrear-se em Jogos Olímpicos, o ginasta português assegurou ainda não estar muito nervoso. “Tenho-me tentado abstrair um bocado de pensar que isto são os Jogos e que este é o maior evento desportivo do Mundo. Estou um bocado ansioso para fazer o meu melhor e tentar replicar o que faço nos treinos e representar Portugal da melhor maneira”, apontou.

A tranquilizá-lo estão também os treinos, que têm corrido “muito bem”. “Tenho treinado também com atletas de outros países. Tenho-me equiparado um pouco e sinto-me muito confiante. Claro que na prova é outro assunto, mas vou tentar fazer o meu melhor, obviamente”, completou.

Ainda assim, o ginasta de 23 anos confessou que a estreia olímpica tem mexido muito consigo e que está a tentar viver ao máximo o período que passará no Rio de Janeiro.

Apesar de ter de treinar todos os dias, Diogo Abreu tem aproveitado para ir conhecer outras modalidades e ver outros eventos: “Já fui ver o judo, fui ver a prova da Telma Monteiro, foi muita emoção junta, foi muito giro. Tenho visto muito ténis e fui ver hoje a prova do Alexis da natação. Gosto sempre de apoiar qualquer português, em qualquer prova e fazer com que eles se sintam apoiados e é isso que eu tento fazer. Sempre gostei muito de ver desporto”.

Bem mais experiente, e talvez mais ciente do que a espera, Ana Rente assumiu estar a sentir algum nervosismo na sua terceira presença olímpica, depois de Pequim2008 e Londres2012.

“Acho que o nervosismo controlado é bom, dá-nos sempre alguma adrenalina, o que também é bom na altura da competição”, defendeu, indicando que o objetivo é sempre o mesmo: tentar superar o que faz em treino.

“Os resultados são secundários, mas claro que sonho sempre em alcançar uma medalha. Melhorar o resultado de Londres2012 [foi 11.ª] e quem sabe, chegando à final, estamos lá oito pessoas para lutar pelas medalhas. Vamos ver”, disse.

A ginasta de 28 anos lembrou que os trampolins são um desporto do momento, para o qual os atletas se preparam a vida inteira e em que pouco mais de 20 segundos podem significar o final de um sonho. “É um desporto muito do momento, é correr bem naqueles 20 segundos, fazer como nos treinos. É sempre um pouco dúbio. Estive-me a preparar durante quatro anos, claro que me sinto preparada e quero dar o meu melhor”, garantiu.

Rente revelou que os treinos têm corrido bem e que tem tido boas sensações, o que lhe permite crescer para chegar à competição com uma motivação extra.

Conteúdo publicado por Sportinforma