Rio2016

12-08-2016 16:21

Lidiane Lopes perspetiva "boa prestação" na estreia apesar de "pequena lesão"

A velocista cabo-verdiana estreia-se esta sexta-feira nos Jogos Olímpicos.
Lidiane Lopes
Foto: INFORPRESS

Lidiane Lopes vai competir em 100 metros rasos.

Por SAPO Desporto c/ Inforpress sapodesporto@sapo.pt

A velocista cabo-verdiana Lidiane Lopes, que se estreia hoje nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro disse à Inforpress que as expectativas “são boas” e a intenção é passar à próxima fase da prova de 100 metros rasos.

Em conversa com a agência Inforpress, fez saber que não obstante uma dor nas costas observada no Hospital Olímpico, espera estar hoje pronta para representar as cores de Cabo Verde.

“As minhas expectativas são boas e penso fazer uma boa prova. Há cinco dias senti uma dor nas costas, tive que ir parar ao hospital porque não conseguia andar, mas hoje o meu treinador e os médicos da vila estão a acompanhar-me para poder fazer uma boa prova”, esclareceu a jovem atleta.

Lidiane Lopes foi agraciada pela Solidariedade Olímpica com um "wild-card" (convite) para os Jogos Olímpicos Rio'2016 na disciplina dos 100 metros, depois de ter falhado a qualificação durante o XVII Campeonato Ibero-americano, realizado precisamente no Rio de Janeiro, Brasil.

Cabo Verde vai estrear-se nos Jogos Olímpicos do Rio'2016 esta sexta-feira, 12, às 13:55, com a atleta Lidiane Lopes nos 100 metros rasos, prova a realizar-se no Estádio do Maracanã.

No dia seguinte, sábado, às 23:00, será a vez do pugilista Davilson Morais entrar no ringue, para defrontar o britânico Joe Joyce, na categoria de -91 quilogramas.

Davilson Morais conseguiu o apuramento para estes Jogos Olímpicos por mérito próprio, feito conseguido no torneio pré-olímpico de boxe, a nível do continente africano, que decorreu no passado mês de março em Yaoundé, Camarões.

Na segunda-feira, 15, (13:30), Jordin Andrade faz a sua estreia nos 400 metros barreiras e dois dias depois, quarta-feira, 17, às 11:00, Maria Andrade, no Taekwondo (-49kg) defronta a tailandesa Panipak Wongpattanakit.

Jordin Andrade, residente nos Estados Unidos da América, conseguiu a sua qualificação em 2015, ao fazer o tempo de 49.24 segundos na prova dos NCAA de Eugene (Hayward Field), que decorreu a 12 de junho, nos EUA.

Já Maria “Zezinha” Andrade, que foi a porta-bandeira na cerimónia de abertura, participa nos Jogos Olímpicos depois de conquistar, no passado mês de fevereiro, a medalha de prata no Open de Agadir (Marrocos).

A participação cabo-verdiana nesta primeira fase termina no dia 19 de agosto (12:20) com atleta Elyane Boal, em ginástica rítmica.

A ginasta cabo-verdiana Elyane Boal foi agraciada um "Wild Card" (convite) da Solidariedade Olímpica, para representar Cabo Verde nos Jogos Olímpicos de Rio'2016.

Cabo Verde conta com sete atletas nos Jogos do Rio: Maria Andrade, no taekwondo, Davilson Morais, no boxe, Jordi Andrade nos 400 metros barreiras, Elyane Boal na ginástica rítmica e Lidiane Lopes no atletismo.

Márcio Fernandes, em lançamento de dardo e Gracelino Barbosa nos 400 metros barreiras T-20 qualificaram-se por mérito próprio para os Jogos Paralímpicos.

Cabo Verde tem, assim, a maior comitiva de atletas de sempre para os Jogos Olímpicos, além de, pela primeira vez, ter a confirmação de três atletas qualificados por mérito próprio.

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro vão contar com a presença de 10.500 atletas de 205 países diferentes e será a primeira a ser realizada da América do Sul.

Conteúdo publicado por Sportinforma