Rio'2016

13-08-2016 23:40

E ao sétimo dia surgiu o 'rei' Usain Bolt

O velocista jamaicano não teve problemas em superar as eliminatórias dos 100 metros.
Usain Bolt
Foto: OLIVIER MORIN / AFP

Usain Bolt

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O jamaicano Usain Bolt iniciou sem qualquer problema a sua participação no Rio2016, apurando-se de forma descontraída nas séries de 100 metros, a exemplo do seu grande rival, o norte-americano Justin Gatlin.

A estreia bem positiva do mítico atleta da Jamaica - 10,07 segundos sem forçar nada - marcou a manhã de provas no estádio olímpico do Rio de Janeiro, que também assistiu à invulgar 'transmissão do cetro' no disco de irmão para irmão, com Christoph Harting a suceder a Robert. O irmão mais novo dos Harting foi hoje o único a passar os 68 metros, com 68,37, com o pódio a ser completado com o polaco Piotr Malachowski (67,55) e alemão Daniel Jasinki (67,05).

Robert Harting, flagelado por lesões nos últimos anos, competiu no Rio de Janeiro mas não conseguiu passar das qualificações, sexta-feira.

Na prova rainha da modalidade, não foi só Bolt, atual bicampeão e recordista mundial, que mostrou estar em forma. Também Gatlin, o campeão de 2004 e vice-campeão mundial em título, e o jamaicano Yohan Blake, vice-campeão olímpico, fizeram excelentes marcas para séries, com 10,01 e 10,11 segundos.

As meias-finais do hectómetro correm-se no domingo, tal como a final, que fechará o programa do dia. Quem também não está a defraudar as expetativas é o escocês Andy Murray, campeão em título de ténis, que segue para a final após vencer o japonês Kei Nishikori, por 6-1 e 6-4. O seu adversário para o ouro será o argentino Juan Martin del Potro ('carrasco' de João Sousa no torneio) que se impôs ao espanhol Rafael Nadal, o campeão de 2008.

No remo, disputaram-se hoje as finais skiff e de oito com timoneiro, tanto para masculinos como para femininos e sem grandes surpresas a nível de resultados. O neozelandês Mahé Drysdale, pentacampeão mundial, conservou o título de skiff masculino, enquanto em femininos ganhou a australiana Kimberley Brennan.

Na mais potente das especialidades olímpicas, a Grã-Bretanha justificou o peso da tradição em masculinos, mas no setor feminino ficou-se pela prata, atrás das norte-americanas.

Dia grande para as britânicas no ciclismo, com Katie Archibald, Laura Trott, Elinor Barker e Joanna Rowsell-Shand a integrarem a equipa que se sagrou campeã de perseguição, com recorde do mundo. O máximo mundial caiu por várias vezes - para as norte-americanas e para as britânicas, nas séries, para depois se fixar na final nos 4.10,236 minutos.

Quanto à holandesa Elis Ligtlee, conquistou a medalha de ouro na prova de keirin. No tiro, ouro para o alemão Christian Reitz com pistola a 25 metros, ele que já tinha sido medalhado de bronze há oito anos. Também já há campeão de skeet, após o italiano Gabriele Rossetti vencer pela margem tangencial o sueco Marcus Svensson, na final. A medalha de bronze foi para Abdullah Al-Rashidi, do Kuwait, mas a competir sob a bandeira dos Atletas Olímpicos Independentes, grupo que assim consegue a sua segunda medalha no Rio2016, depois do ouro do ‘double trap’ também por um kuwaitiano.

O bielorrusso Uladzislau Hancharou é o campeão da prova de trampolins, superando a concorrência chinesa, que ficou com a medalha de prata e também a de bronze.

Conteúdo publicado por Sportinforma