Rio'2016

14-08-2016 17:11

Dulce Félix escapou ao desaire nacional da maratona

A atleta de 33 anos ficou no 16º lugar da prova 'rainha'.
dulce félix
Foto: Canal Olímpico

Dulce Félix

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A maratona dos Jogos Olímpicos Rio2012 foi hoje ‘madrasta’ para Portugal, com Sara Moreira e Jéssica Augusto a desistirem por lesão e deixarem todo o protagonismo a Dulce Félix, que melhorou o resultado de Londres2012.

Dulce Félix não se deixou abalar pelo abandono das suas companheiras, nem pelo insuportável calor que se fez sentir durante a maratona, para concluir a prova na 16.ª posição e atenuar o desaire das duas maiores esperanças nacionais na distância.

Há dois dias, Sara Moreira, campeã europeia da meia-maratona, garantiu estar a 100 por cento, irritou-se quando insistiram em perguntar-lhe sobre os efeitos que a "pequena inflamação na zona do osso" poderia ter no seu desempenho e defendeu que uma semana de paragem em dez de treino não fariam qualquer diferença.

Hoje, ainda as pessoas tentavam encontrar lugar para assistir à maratona, e já a atleta do Sporting abandonava a prova, sem completar se quer os sete primeiros quilómetros, saindo da sua terceira participação olímpica - foi 14.ª nos 10.000 metros, em Londres2012, e 22.ª nos 3.000 obstáculos, em Pequim2008 - pela porta pequena, deixando no ar a sensação de que deveria ter sido a 'suplente' Vanessa Fernandes a alinhar.

Mas o 'desastre' luso estava apenas a começar: à passagem cronometrada dos 20 quilómetros, o nome de Jéssica Augusto deixou de aparecer. A longa espera confirmou a desistência da sétima classificada em Londres2012, devido a uma dor na virilha.

A aposta da Federação Portuguesa de Atletismo na maratonista do Sporting, que tinha apenas a quarta melhor marca - Filomena Costa tinha um registo melhor, mas ficou em casa -, gorou-se, com os destinos nacionais a ficarem entregues a Dulce Félix.

A vice-campeã europeia dos 10.000 metros cumpriu à risca o seu plano, seguindo ao seu ritmo, sem se preocupar com o das adversárias, e foi crescendo (e subindo na classificação) a cada ponto intermédio.

No dia mais quente desde o início dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, Dulce Félix manteve a passada para concluir a maratona na 16.ª posição, a 6.35 minutos da vencedora, a queniana Jemina Sumgong, uma ‘vitória’ festejada efusivamente pela portuguesa.

Aos 33 anos, a atleta vimaranense melhorou Londres2012, onde foi 21.ª na sua estreia olímpica.

Conteúdo publicado por Sportinforma