Rio2016

14-08-2016 12:13

Ministro dos Desportos russo considera "desumana" decisão de excluir Klishina

Darya Klishina era a única atleta russa autorizada inicialmente a competir no Rio2016.
Darya Klishina
Foto: FRANCK ROBICHON / EPA

Klishina, de 25 anos, foi inicialmente autorizada a participar.

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ministro dos Desportos da Rússia, Vitali Mutko, classificou hoje de “desumana” a decisão da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) de excluir dos Jogos Olímpicos Darya Klishina, única atleta russa autorizada inicialmente a competir no Rio2016.

A IAAF afastou todo o atletismo russo na sequência da publicação de um relatório que divulgou a existência de um sistema de doping organizado na Rússia, alegadamente patrocinado pelo Estado.

Klishina, de 25 anos, foi inicialmente autorizada a participar porque está a residir na Florida, nos Estados Unidos, desde 2013, e a IAAF presumia que estava à margem do sistema de dopagem denunciado.

“Não sei como classificar isto nem como se pode agir desta forma. Esta decisão é desumana. Ultrapassa todos os limites”, disse Mutko à agência R-Sport.

No sábado, a IAAF justificou esta exclusão por “uma nova informação” que recebeu e que foi partilhada com Darya Klishina.

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) indicou que recebeu um recurso de Klishina a contestar a exclusão de última hora decretada pela IAAF, que interditou a participação dos 68 russos selecionados, com exceção desta atleta do salto em comprimento.

“Se excluíram toda a seleção [de atletismo], podiam tê-la excluído também. Deram-lhe esperanças e a oportunidade de competir, mas agora...”, referiu ainda o ministro dos Desportos.

Para Mustko, esta decisão da IAAF é mais um exemplo da “campanha de desprestígio lançada contra o desporto russo”.

Conteúdo publicado por Sportinforma