Rio 2016

20-08-2016 00:08

Quatro nadadores norte-americanos vão ser alvo de inquérito

O Comité Olímpico Internacional (COI) anunciou hoje a abertura de um inquérito disciplinar a Ryan Lochte e a três outros nadadores norte-americanos, que admitiram ter mentido sobre um assalto de que alegaram terem sido vítimas no Rio de Janeiro.
Natação Geral
Foto: PHILIPPE LEWICKI

Natação Geral

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

“Foi nomeada uma comissão disciplinar pelo COI e haverá um inquérito aos quatro nadadores”, indicou um responsável da organização, citada pela agência noticiosa AFP, acrescentando que os atletas poderão ser chamados a depor no âmbito da investigação.

Os quatro nadadores - Ryan Lochte, Gunnar Bentz, Jack Conger, Jimmy Feigen - alegaram inicialmente terem sido assaltados de madrugada no Rio de Janeiro por indivíduos armados, que se fizeram passar por polícias, quando regressavam de táxi à Aldeia Olímpica.

A investigação policial subsequente e imagens vídeo entretanto recolhidas permitiram concluir que os nadadores olímpicos norte-americanos não foram assaltados e foram eles que causaram distúrbios, visivelmente alcoolizados, num posto de gasolina, tendo um dos seguranças apontado a arma a um dos atletas.

No entanto, após pagarem 100 reais (27 euros) e 20 dólares (17,6 euros) pelos danos, os seguranças do local deixaram-nos partir.

Na quarta-feira, uma juíza brasileira pediu que fossem retirados os passaportes dos nadadores e proibiu-os de sair do Brasil, mas Ryan Lochte e James Feigen já tinham regressado aos Estados Unidos.

Mais tarde, os nadadores Jack Conger e Gunnar Bentz foram retirados de um voo para os Estados Unidos pelas autoridades brasileiras e levados para depor na polícia.

Depois de ouvido pelas autoridades judiciais brasileiras, o nadador James Feigen foi autorizado a deixar o Brasil mediante o pagamento de um donativo a uma instituição, na ordem dos 11.000 dólares (9.700 euros), de acordo com informação avançada pelo advogado à cadeia norte-americana NBC.

Hoje, Ryan Lochte apresentou hoje um pedido de desculpas às autoridades brasileiras.

“Deveria ter sido mais responsável relativamente à minha conduta. Peço desculpas aos meus colegas de equipa, aos meus fãs, aos meus adversários, aos meus patrocinadores e aos anfitriões desde grande evento”, afirmou, numa declaração publicada hoje na sua conta na rede social Twitter.

Também o Comité Olímpico dos Estados Unidos (USOC) apresentou um pedido de desculpas públicas às autoridades brasileiras salientando que o comportamento destes atletas “não é aceitável e muito menos representa os valores da seleção dos Estados Unidos, nem a conduta da maioria dos seus elementos”.

Lochte ganhou uma medalha de ouro na prova 4x200 metros livre e ficou em quinto lugar nos 200 metros estilos no Rio2016. Bentz e Conger participaram nas eliminatórias de estilo livre nos 4x200 metros e Feigen nos 4x100 metros.

Conteúdo publicado por Sportinforma