Rio'2016

21-08-2016 12:21

Neymar: "Não quero mais ser capitão da seleção"

Jogador do Barcelona renuncia à braçadeira de capitão do Brasil.
Neymar celebra o golo de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro
Foto: EPA/ALEJANDRO ERNESTO

Neymar celebra o golo de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Neymar, autor da grande penalidade decisiva que deu o inédito título olímpico de futebol ao Brasil, no sábado, admitiu que esse foi dos melhores momentos da sua vida.

No entanto, o jogador do Barcelona revelou após a conquista do inédito ouro olímpico em futebol que ia pedir ao selecionador brasileiro para deixar de ser o capitão do Brasil.
"É algo que já conversei com a minha família. A partir de hoje não quero mais ser capitão da seleção", disse Neymar à comunicação social brasileira.

O Brasil reina o futebol internacional com cinco títulos mundiais, mas faltava-lhe o mais desejado: Neymar marcou o primeiro golo do desafio que terminou 1-1 no tempo regulamentar e após o prolongamento e, no quinto e último penálti, logo após Nils Petersen permitir a defesa de Weverton, teve o momento que o deixará na história do país.

Em declarações à TV Globo, ainda no relvado, a ‘estrela’ brasileira não esqueceu os críticos ao mau início de competição e ao seu desempenho: "Respondemos com futebol. Agora vão ter de engolir o que disseram".

Já o selecionador olímpico confirmou a decisão de Neymar e elogiou a postura do internacional brasileiro, um autêntico 'líder' em campo.

"É um gesto nobre do Neymar. Acho nobre ele deixar o Tite à vontade para escolher o futuro capitão de equipa. Mais uma vez ele mostra maturidade. Aqui na seleção mostrou-se um líder. Saio com as melhores impressões dele e de todo o grupo, que foi fantástico", disse Rogério Micale.

Conteúdo publicado por Sportinforma