Rio2016/Rússia

23-08-2016 23:07

Atletas paralímpicos pretendem recorrer ao Tribunal dos Direitos Humanos

A Rússia continua a negar as conclusões do relatório McLaren sobre a participação estatal num sistema organizado de ‘doping’.
O caos oculto da organização no sucesso desportivo dos Jogos
Foto: AFP

Atletas paralímpicos pretendem recorrer ao Tribunal dos Direitos Humanos

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os desportistas russos anunciaram a pretensão de recorrer ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, contestando a sua exclusão dos Jogos Paralímpicos Rio2016, hoje confirmada pelo Tribunal Arbitral de Desporto (TAS).

O presidente do Comité Paralímpico Russo, Vladimir Lukin, que anunciou a pretensão, garante que as queixas serão feitas pelos atletas, “de forma individual, onde acorrem todas as pessoas que sentem que estão a ser violados os seus direitos enquanto humanos”.

A Rússia continua a negar as conclusões do relatório McLaren sobre a participação estatal num sistema organizado de ‘doping’ e, em particular, a intervenção no processo do próprio ministro dos Desportos, Vitaly Mutko.

Os Jogos Paralímpicos disputam-se desde 1948 e têm visto a sua dimensão e importância crescer nos últimos 20 anos, tendo contado na última edição, em Londres2012, com a participação de 4.300 atletas, em representação de 164 países.

Conteúdo publicado por Sportinforma