Rio2016

08-09-2016 07:27

Natação: Ryan Lochte proibido de competir durante 10 meses

Nadador norte-americano foi afastado de competição devido ao escândalo protagonizado no Brasil durante os Jogos Olímpicos.
Lochte pede desculpa por mentira sobre assalto e organiza
Foto: SAPO Desporto

Ao regressarem de uma festa a 14 de agosto, Ryan Lochte e três colegas da equipa de natação danificaram um posto de abastecimento de combustível no Rio de Janeiro e envolveram-se numa confusão com os seguranças do espaço.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O nadador norte-americano Ryan Lochte, 12 vezes medalhista olímpico, vai estar dez meses sem poder competir pelo escândalo que protagonizou nos Jogos do Rio de Janeiro, quando inventou ter sido vítima de um assalto, informou hoje a imprensa local.

A sanção, imposta pelo Comité Olímpico dos Estados Unidos (USOC, na sigla em inglês) e pela federação de natação USA Swimming, vai impedir Lochte de competir no Campeonato Mundial de Natação que vão decorrer em Budapeste em julho de 2017.

Segundo o jornal USA Today, os outros nadadores norte-americanos envolvidos no incidente do Rio, James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger, também vão ter sanções, mas menores do que a aplicada a Lochte.

Segundo o portal TMZ.com, que avançou a notícia, as sanções para Feigen, Bentz e Conger não vão exceder os quatro meses fora das piscinas.

Ao regressarem de uma festa a 14 de agosto, Ryan Lochte e três colegas da equipa de natação danificaram um posto de abastecimento de combustível no Rio de Janeiro e envolveram-se numa confusão com os seguranças do espaço.

Após o incidente, os nadadores informaram a polícia de que tinham sido vítimas de um assalto, mas, mais tarde, as autoridades desmontaram essa versão na sequência de investigações.

Ryan Lochte, que soma 12 medalhas olímpicas, pediu desculpas por ter "exagerado algumas partes da história", disse que se esqueceu de "alguns detalhes" e assumiu que ainda estava embriagado quando revelou o incidente.

Depois do ocorrido, Ryan Lochte voltou aos Estados Unidos, enquanto Gunnar Bentz, Jack Conger e Jimmy Feigen permaneceram no Brasil.

Após ser ouvido pelas autoridades judiciais brasileiras, o nadador James Feigen foi autorizado a deixar o Brasil mediante o pagamento de um donativo a uma instituição, na ordem dos 11.000 dólares (9.700 euros).

A polícia também devolveu os passaportes dos nadadores Gunnar Bentz e Jack Conger, que deixaram o país.

Como consequência, o Comité Olímpico Internacional (COI) anunciou a abertura de um inquérito disciplinar aos quatro nadadores.

Lochte ganhou uma medalha de ouro na prova 4x200 metros livre e ficou em quinto lugar nos 200 metros estilos no Rio2016. Bentz e Conger participaram nas eliminatórias de estilo livre nos 4x200 metros e Feigen nos 4x100 metros.

Conteúdo publicado por Sportinforma