Londres2012 / Vela

09-08-2012 14:39

Vicente Moura admite pedir afastamento de Carolina Borges

O líder do Comité Olímpico de Portugal (COP) criticou a postura da velejadora que desistiu de participar no dia de estreia na classe RS:X.
Vicente Moura admite pedir afastamento de Carolina Borges

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), Vicente Moura, acusou hoje a velejadora Carolina Borges de «oportunismo» para estar em Londres2012 com o marido e admite pedir o seu afastamento «do Desporto português».

«Inclusivamente, se for necessário, ela será castigada e proporemos ao Governo que ela seja irradiada do desporto português», disse, em declarações à agência Lusa.

A velejadora estava qualificada para a prova de RS:X feminino, mas acabou por avisar a Missão Olímpica lusa no dia da estreia que, por «razões médicas e pessoais», não poderia participar.

Vicente Moura confirmou que haverá um processo de averiguações, tal como o chefe da Missão, Mário Santos, tinha avançado nesse mesmo dia.

Carolina Borges defendeu-se, dizendo que desistiu por estar grávida, por não ter tido apoio de um treinador em Weymouth, onde se disputam as provas de vela de Londres2012, e por não ter recebido as verbas acordadas com a federação e o COP.

«Como é que é possivel uma mulher grávida de três meses preparar-se para vir aos Jogos Olímpicos com este mar, que hoje está bom, mas não é fácil, numa classe muito exigente, é claro que ela não poderia participar», referiu Vicente Moura, que disse que a velejadora luso-brasileira foi oportunista para estar nos Jogos com o marido, o norte-americano Mark Mendelblatt.