Jogos Paralímpicos/Cabo Verde

25-08-2016 07:45

Márcio Fernandes: "Vamos dar 200% no Rio de Janeiro"

A conferência de imprensa de apresentação da delegação contou com a presença do Ministro do Desporto, Elísio Freire.
Atletas paralímpicos cabo-verdianos nos Jogos do Rio'2016
Foto: SAPO

Atletas paralímpicos cabo-verdianos nos Jogos do Rio'2016

Por Cláudia Marques sapodesporto@sapo.pt

O Comité Paralímpico de Cabo Verde (COPAC) convocou esta quarta-feira, 24, a comunicação social para fazer a apresentação oficial da delegação de Cabo Verde que irá para os Jogos Paralímpicos Rio 2016 que acontecem no Rio de Janeiro, Brasil, de 7 a 18 de setembro.

O evento serviu igualmente para a apresentação do hino oficial para a participação de Cabo Verde nos Jogos, a música “Superasom” do jovem artista Buddha Andrade.

A conferência de imprensa contou com a presença do Ministro do Desporto, Elísio Freire, Diretor Geral dos Desportos, Gerson Melo, Embaixador do Brasil em Cabo Verde, João Carlos Leitão, Rodrigo Bejarano, Presidente do COPAC, Orlando Mascarenhas, atletas paralímpicos, Gil Semedo, padrinho do Comité, entre outros membros da staff do Comité e alguns parceiros.

Depois da projeção de uma parte do videoclip da música “Superasom”, Buddha agradeceu pela oportunidade. “Quero agradecer a todos os envolventes. Tudo começou quando eu vi o discurso do Márcio Fernandes quando foi campeão mundial, medalha de ouro, e reparei que não havia muita divulgação do que se estava a passar, do grande feito que conquistou, e pensei porque não ter uma música que representasse toda a dificuldade e esforço do Márcio e representando também os colegas”.

Segundo Buddha, como diz o nome da música, o tema fala de pessoas que, de uma maneira ou outra, enfrentam dificuldades durante o dia a dia. “Tentamos também sensibilizar para a questão da inclusão e mostrar que a sociedade tem que estar mais atenta a esta realidade”, acrescentou. O vídeo final e completo vai estar, segundo o artista, brevemente nas suas plataformas digitais.

De seguida, Rodrigo Bejarano aproveitou o momento para fazer uma pequena apresentação do COPAC, expondo um resumo do percurso do Comité, que já tem 18 anos de existência, e exemplificando alguns dos feitos assim como desafios para o futuro, nomeadamente a construção de uma Casa Paralímpica.


Comitiva Rio 2016

A comitiva de Cabo Verde que irá para os Jogos Paralímpicos Rio 2016 é, nas palavras de Rodrigo Bejarano, “muito pequena” mas que, acredita, vai regressar feliz. “Estamos muito confiantes”.

O chefe de missão será Orlando Mascarenhas, que já o tinha sido nos Jogos de 2012 em Londres, mas a comitiva é ainda constituída pelo chefe de delegação Rodrigo Bejarano, Filomena Fortes, a Presidente do Comité Olímpico de Cabo Verde e fundadora do COPAC, dois jornalistas da Green Sports, e claro os atletas Márcio Fernandes e Gracelino Barbosa e respetivos treinadores (Carlos Fernandes e Serafim Gadelho). Os cuidados fisioterapêuticos serão assegurados por um fisioterapeuta brasileiro que aguarda a comitiva no Rio de Janeiro.

O Ministro do Desporto, Elísio Freire, tomou a palavra começando por afirmar que vivemos um dos momentos mais altos do desporto cabo-verdiano. “Estamos perante exemplos daquilo que queremos que os cabo-verdianos sejam; pessoas que superam, acreditam nas suas capacidades, trabalham em equipa e conseguem ser superiores. É esse o espírito olímpico.”

Freire falou “tocado” e visivelmente emocionado e explicou que devia-se à origem dos atletas Márcio Fernandes e Gracelino Barbosa, o concelho do Tarrafal de Santiago, de onde é também oriundo, e continuou: “É um orgulho enorme ver esses jovens com uma enorme capacidade, a disputarem com os melhores, de cabeça erguida e a demonstrarem o mundo que Cabo Verde tem garra, determinação e que nós somos um povo que nasceu exatamente disso”.

Márcio Fernandes, capitão da comitiva, falou também em nome dos atletas.“Este momento surge para mim como ímpar na minha carreira. Estamos aqui com uma comitiva que vai partir para o Rio de Janeiro, com grande esperança e com certeza que vamos competir de igual forma como todos os que lá estão”, frisou.

O atleta, campeão mundial no lançamento do dardo, deixou ainda um “profundo agradecimento” a toda a população nacional pelo apoio e carinho que têm sentido e que tem sido um “grande estímulo” para esta “missão difícil” que vão ter. “Vai ser uma grande guerra, como costumo dizer, mas estamos preparados e vamos dar o nosso melhor para representar a bandeira de Cabo Verde condignamente como temos feito até aqui.”

“Vamos dar 200% no Rio de Janeiro. Essa é a minha promessa … o resto logo se vê”, concluiu, confiante.

Conteúdo publicado por Sportinforma