Volta a Portugal

12-08-2010 14:51

Blanco satisfeito com mudança

David Blanco, camisola amarela da Volta a Portugal em bicicleta, mostrou-se esta quinta-feira agradado com o encurtamento do percurso da sétima etapa, devido aos incêndios na Serra da Estrela, enquanto Hernâni Broco queria uma “etapa mais dura”.
Blanco satisfeito com mudança

Por Sapo Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Em declarações à Agência Lusa, pouco antes do início da prova que foi hoje encurtada em cerca de 40 quilómetros, pelo que a subida à Torre será feita por Manteigas, o espanhol do Palmeiras-Resort-Brio, confessou que o traçado é mais do seu agrado.

“A etapa por este lado (por Manteigas) não se pode dizer que não seja mais fácil. A etapa perdeu uma subida dura - alto do Carrazedo -, e além disso a subida à Torre, por Seia, é muito mais complicada que esta que vamos fazer”, começou por dizer.

O ciclista que leva 43 segundos de avanço para o segundo classificado, explicou, no entanto, que o que faz a dificuldade da prova é a velocidade.

“Mas o que faz a dificuldade, é a velocidade com que se sobe, logo tudo depende como vai a subida. Mas de facto, o percurso é mais fácil para mim. Já subi à Torre por todos os lados, conheço as subidas todas e esta - Manteigas - é mais do meu agrado”, afirmou.

Opinião contrária tem o português Hernâni Broco (LA-Rota dos Móveis), terceiro classificado da geral, a 44 segundos, e um dos candidatos à vitória da prova.

“Esta alteração não me favorece, porque a etapa fica menos dura, será mais fácil para o Tavira (Palmeiras-Resort-Brio) controlar a corrida e mais acessível para o David (Blanco), mas a minha ambição é a mesma”, afirmou.

Inicialmente programada para as 12h40, em Idanha-a-Nova, a tirada de hoje, que termina na Torre, começará uma hora mais tarde e sofrerá um corte de 45 quilómetros, ficando anulada a passagem no alto de Carrazedo, contagem de montanha de primeira categoria (km 124,1), a subida final à Torre a partir de Seia, concelho onde estão três incêndios activos.