Ciclismo/Mundiais

23-09-2011 18:20

Arnaud Demare bate ao "sprint" compatriota Adrien Petit

Campeonato do mundo decorre em Copenhaga, na Dinamarca.
Arnaud Demare bate ao

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ciclista francês Arnaud Demare sagrou-se hoje campeão do Mundo de fundo em sub-23, ao bater ao “sprint” o compatriota Adrien Petit, na competição disputada em Copenhaga, na Dinamarca.

A dupla gaulesa concluiu os 168 quilómetros do percurso em 03.52,16 horas, à média de 43,398 quilómetros por hora, deixando o alemão Andrew Fenn e o britânico Rudiger Selig, no terceiro e quarto lugar, respetivamente.

Fábio Silvestre, que chegou a ensaiar dois ataques durante a corrida, foi o melhor português, ao terminar o percurso no 19.º posto, à frente de António Carvalho, 23.º, enquanto José Gonçalves quedou-se pelo 54.º lugar, todos com o mesmo registo do vencedor.

«Estou satisfeito com a minha prestação, foi pena não ter possibilidades de discutir o 'sprint', mas fui empurrado nos últimos 200 metros e não consegui fazer melhor. Foi uma corrida tática, com muitos corredores a chegarem ao fim cheios de força», explicou Fábio Silvestre, citado pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

António Carvalho reconheceu ter entrado «bem colocado na reta da meta», mas sem «força para discutir o sprint».

«Nos últimos cinco quilómetros tive que efetuar uma recuperação devido a ter ficado envolvido numa queda e desgastei-me imenso», justificou António Carvalho, enquanto José Gonçalves lamentou que a corrida tivesse terminado com o pelotão compacto:

«O percurso não era ao meu jeito e no final não tive possibilidades de estar na frente, porque não sou sprinter. Cheguei com o mesmo tempo, mas gostava de ter feito melhor».

Demere, de 20 anos e estagiário da FDJ, tornou-se no segundo francês a vencer esta prova, criada em 1996, depois da vitória de Romain Sicard, há dois anos, em Mendrisio.

Em 2010, na estreia nesta categoria, Demare concluiu o percurso australiano de Geelong no quinto lugar, após análise do "photo-finish" para a atribuição da medalha de bronze.

Na corrida de fundo feminina, a britânica Lucy Garner foi a primeira a terminar os 70 quilómetros do percurso, com o tempo de 01:46.17 horas, deixando a belga Jessy Druyts no segundo lugar e a dinamarquesa Christina Siggaard no terceiro, com o mesmo registo da vencedora.