Canoagem

01-09-2013 16:39

Ouro de Emanuel Silva e João Ribeiro faz história nos Mundiais

O último dia dos Mundiais ficou ainda marcado por mais duas finais: Hélder Silva foi sétimo em C1 200 e Joana Vasconcelos nona em K1 200.
Ouro de Emanuel Silva e João Ribeiro faz história nos Mundiais

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Portugal concluiu hoje os Mundiais de canoagem fazendo história com a sua primeira medalha de ouro na mais importante prova internacional, com um triunfo de Emanuel Silva e João Ribeiro em K2 500, em Duisburgo, Alemanha.

A quarta medalha da história da canoagem em mundiais - três delas já no "reinado" do selecionador Ryszard Hoppe - surge num momento conturbado da modalidade, uma vez que Fernando Pimenta e Teresa Portela prescindiram da seleção: o limiano por não competir em K1 e a atleta do Benfica incompatibilizada com a equipa técnica.

A dupla portuguesa conquistou a medalha de ouro ao terminar a prova com um tempo de 1.32,662 minutos, superando a dupla da Bielorrússia, formada por Raman Piatrushenka e Vadzim Mkhneu (1.32,711), e da França, constituída por Sebastien Jouve e Maxime Beaumon (1.33,023), medalhas de prata e bronze, respetivamente.

Emanuel Silva (Sporting) e João Ribeiro (Benfica) já tinham conquistado o bronze nesta distância em 2011, tal como o terceiro posto nos 1.000 na Taça do Mundo do mesmo ano. O benfiquista já tinha sido vice-campeão do Mundo desta distância, com Fernando Pimenta.

O último dia dos Mundiais ficou ainda marcado por mais duas finais: Hélder Silva foi sétimo em C1 200 e Joana Vasconcelos nona em K1 200.

Na primeira final de Mundial, Hélder Silva (CN Prado) concluiu a prova com 39,522 segundos, a 1,060 do ouro do azeri Valentim Damyanenko, que bateu o russo Ivan Shtyl (a 355 milésimos) e o espanhol Benavides Ayala (598 milésimas), respetivamente bronze e quarto classificados nos Jogos Olímpicos Londres2012.

O português (13.º nos Europeus) teve o seu habitual arranque poderoso, mas desequilibrou na parte final, na qual não costuma ser tão consistente, e com isso comprometeu melhor resultado, batendo, ainda assim, o francês Thomas Simart e o japonês Naoya Sakamoto, finalista olímpico.

Joana Vasconcelos (Benfica) também se estreou em finais mundiais em K1 e largou muito rápido, mas a concorrência era obviamente forte, tendo terminado em 41,040, a 1,515 do ouro da campeã olímpica, a neozelandesa Lisa Carrington: o sexto lugar da vice-campeã do Mundo sub-23 ficou à curta distância de 201 milésimos para a lusa, a mais jovem em prova.

David Fernandes foi 14.º em K1 5.000 metros, com 20.52,454, numa prova ganha pelo australiano Ken Wallace (19.44,059). Sábado tinha sido 27.º nos 1.000.

Os resultados da canoagem foram penalizados pela ausência de Fernando Pimenta (acabou com o K2 1.000 vice-campeão olímpico com Emanuel Silva e o K4 1.000 vice-campeão da Europa ainda com João Ribeiro e David Fernandes), enquanto a de Teresa Portela inviabilizou mais resultados de vulto em K1 e K2.

O K4 olímpico feminino, que não falha uma final internacional desde 2007, também parou esta época devido à gravidez de Beatriz Gomes e Helena Rodrigues, que voltam à competição na próxima época, reforçando as opções de Ryszard Hoppe, que acredita em medalhas nos Jogos Olímpicos Rio2016 no K2 e K4 1.000 masculino e K2 500 feminino.

Conteúdo publicado por Sportinforma com Lusa