Modalidades

02-09-2016 21:05

Campeonatos de surf nos Açores têm retorno de 1,6 milhões de euros

O secretário regional do turismo e transportes, Vítor Fraga, estimou hoje que as provas de surf realizadas nos Açores, com apoio do executivo açoriano, têm um retorno que ronda os 1,6 milhões de euros.
Ondas da Nazaré mostram a sua força
Foto: AFP

Surf

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

"Em termos de retorno direto estamos sempre a falar ao nível de alojamento, ‘rent a cars’ e alimentação, de cerca de 1,6 milhões de euros, para além disso há sempre o retorno em termos de promoção junto dos principais mercados emissores", afirmou Vítor Fraga durante a apresentação do Azores Airlines Pro e do Vissla ISA World Junior Surfing Championship.

As três provas que se realizam neste mês de setembro na Praia do Monte Verde, na ilha de São Miguel, nomeadamente a etapa do circuito de qualificação masculino e feminino da World Surf League e o campeonato do mundo de surf júnior por equipas, contam com um apoio do Governo Regional dos Açores na ordem dos 600 mil euros.

Vítor Fraga relembrou que o executivo açoriano tem apostado na modalidade desde 2009, altura em que se optou por "transformar os Açores num destino de surf tanto a nível nacional como internacional".

O Azores Airlines Pro decorre entre 6 e 11 de setembro com a presença de 144 surfistas masculinos e 48 surfistas femininas e o Vissla ISA World Junior Surfing Championship realiza-se de 17 a 25 de setembro com a presença de 40 seleções.

"No caso do Azores Airlines Pro estamos a falar na presença de cerca de 400 pessoas entre atletas e acompanhantes. No caso do VISSLA World Junior Championship estamos a falar de cerca de 800 pessoas entre atletas e respetivas comitivas o que dá bem mostra da capacidade que este tipo de eventos tem de captação de fluxos para a nossa Região", sublinhou Vítor Fraga.

O organizador do evento, Rodrigo Herédia, enalteceu a aposta do executivo açoriano na prova do mundial de juniores que regressa à Europa oito anos depois e numa altura em que a modalidade acaba de ser integrada nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

"Muito recentemente, agora no Rio de Janeiro, o surf passou a ser modalidade olímpica e Tóquio vai ser a primeira prova em que o surf vai estar presente como modalidade olímpica e esta prova, que se vai realizar nos Açores, vai ser a primeira prova a contar para estes ditos mínimos olímpicos", disse Rodrigo Herédia.

Conteúdo publicado por Sportinforma