Modalidades

03-09-2016 21:47

Miguel Carneiro destaca "desafios vencidos" na estreia no 'super triatlo'

Miguel Carneiro destacou hoje os “vários desafios vencidos” e a “felicidade” de ter cumprido, em 15.º lugar, o ‘super triatlo’ World Championship Double Ultra Triathlon em Panevezys, Lituânia.
Europeus de triatlo
Foto: JOAO RELVAS / EPA

Europeus de triatlo

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

“A cada volta sentia uma grande satisfação por todos os quilómetros cumpridos e por pensar que a meta, na qual tanto pensei durante meses de treino, estava cada vez mais perto. E, de repente, dei por mim no momento mais feliz de todo o desafio, a última volta”, contou, à Lusa.

O atleta português completou os 7,6 quilómetros de natação, 360 km de ciclismo e 84,4 km de corrida em 27:28.25 horas. O suíço Roland Scheurer foi o vencedor, com o tempo de 21:19.47 horas, seguido do lituano Renatas Orlovas, com 22:14.25, e do finlandês Tero Hyppola, com 22:27.02.

“A última volta foi feita no sentido oposto, com os atletas, acompanhados pelas suas equipas de apoio, a transportar a bandeira do seu país para se cruzarem com quem ainda está em prova. Antes da meta foi-me colocada uma coroa ao pescoço. É um sentimento de objetivo cumprido, dedicado a todos os que sabiam que eu conseguiria”, disse.

A primeira experiência em desafio “tão difícil” antecipava “dúvidas de como o corpo iria reagir”, sendo que os primeiros obstáculos surgiram no ciclismo, após “consistência e ritmo” revelados na prova de natação.

“Por volta 20 de 72 [quilómetros] senti cansaço muscular e a minha cabeça começou a divagar. Pensava no que ainda teria pela frente, pois tinha apenas seis horas de prova. Fiquei um pouco assustado e não me conseguia focar realmente no que tinha que fazer. Foi o momento mais desmoralizante do desafio. Decidi parar junto à minha equipa de apoio. Animaram-me, fui massajado e voltei ao caminho”, conta.

O segmento da corrida, equivalente a duas maratonas, foi “a parte em que sabia que iria ter mais problemas”, já que foi a especialidade que menos treinou, devido a lesão.

“A partir dos 17 quilómetros comecei a sentir uma indisposição gástrica que me obrigou a idas contínuas à casa de banho, praticamente todas as voltas, o que tornou a corrida bastante complicada. Outra grande dificuldade foi o frio, durante a noite as temperaturas baixaram bastante”, recordou.

Miguel Carneiro recordou que a temperatura voltou a subir por volta das 09:00, pelo que “as últimas três horas já foram mais fáceis”.

Conteúdo publicado por Sportinforma