Desporto

16-09-2016 00:01

Quatro escolas com projeto para conciliar aulas e desporto de alta competição

A iniciativa que abrange 12 modalidades e 57 estudantes foi divulgada no Porto.
Parlamento: audição do ministro da Educação na Comissão de Educação e Ciência
Foto: Lusa

Secretário de Estado da Educação, João Costa.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os secretários de Estado da Educação e do Desporto revelaram hoje que quatro escolas começaram este ano letivo com um projeto-piloto para apoiar alunos que são atletas de alto rendimento, nomeadamente com uma gestão flexível de currículos.

A iniciativa, que abrange 12 modalidades e 57 estudantes, foi divulgada no Porto, na Escola Secundária Fontes Pereira de Melo, onde funciona uma Unidade de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE), à semelhança do que acontece em escolas de Linda-a-Velha, Oeiras, Rio Maior, Santarém, e Montemor-o-Velho, Coimbra.

“Estamos aqui a dar passos muito importantes em áreas que vão além do desporto e tocam a educação como um todo. Queremos garantir que, na escola, todos têm lugar. O que temos aqui é um passo forte e seguro numa área em que já estamos a fazer gestão flexível de currículo”, frisou o secretário de Estado da Educação, João Costa.

O governante destacou ainda o papel do desporto no desenvolvimento “das competências do século XXI”.

“Estes jovens são coordenados, empenhados, querem superar-se, trabalham em equipa, sincronizam o seu ritmo com o dos colegas, coordenam o seu tempo com o tempo de estudo. São, afinal, as competências do século XXI. Dizer que o desporto não é estruturante e que só duas disciplinas é que são, era matar estas competências do século XXI”, vincou.

Na prática, cada UAARE terá um “professor acompanhante”, responsável por um diagnóstico sobre a situação de cada aluno-atleta e pela definição e implementação de um programa pedagógico específico para cada caso.

Para João Costa, esta iniciativa é, por isso, “um grande projeto de tutoria, já com grande sucesso”, para aprofundar o plano mais alargado de tutorias que o Governo começou a implementar.

“Estamos a fazer história na escola portuguesa. Já não estamos a falar de uma escola para todos, mas em criar condições de sucesso para todos os alunos que estão na escola”, resumiu Vítor Pardal, coordenador nacional do projeto, e, desde 2009, do Gabinete de Apoio ao Alto Rendimento de Montemor-o-Velho.

O responsável lembrou que estes ‘alunos-atletas’ estão, muitas vezes, “deslocalizados, longe das famílias”, e são sujeitos a um grande “stresse psicológico e fisiológico”.

O secretário de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo, afirmou que a ideia do Governo começou a ser desenhada depois de conhecer o projeto educativo do Centro de Alto Rendimento de Montemor-o-Velho, muito ligado à canoagem, e depois de um alerta para as dificuldades em manter as atletas num estágio, a faltar à escola ou a exames.

“O presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol tinha a seleção sub-17 a estagiar em Lousada, em preparação para um campeonato do mundo, e os pais muito preocupados porque as alunas estavam a faltar à escola”, explicou o governante.

Compatibilizar uma “carreira desportiva de excelência” com o “sucesso escolar” é a missão desta ação em quatro estabelecimentos de ensino do país, que o secretário de Estado do Desporto pretende levar “a muitas e muitas mais escolas”.

“Tínhamos um país que dizia: quando forem lá fora, tragam medalhas. Mas, cá dentro, não vos damos condições. Era urgente atuar”, justificou o secretário de Estado da Educação, que pretende “começar a contaminar o resto do país com uma boa prática”.

Além de estar na Escola Fontes Pereira de Melo, no Porto, as UAARE funcionam nas escolas Amélia Rey Colaço, em Linda-a-Velha, Oeiras, Augusto Silva Ferreira, Rio Maior, e na Escola Secundária de Montemor-o-Velho.

Conteúdo publicado por Sportinforma