Jogos Olímpicos

29-11-2016 13:27

Governadora de Tóquio descarta proposta de deslocação de modalidades nos JO

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, descartou hoje a proposta de deslocação da canoagem e do remo para fora da capital nos Jogos Olímpicos de 2020 e promete cortes ao nível das construções e instalações.
Presidente da IAAF diz que atletismo queniano pode ser afastado
Foto: WANG ZHAO

Os Jogos Ol

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Durante a reunião dos organizadores de Tóquio2020, do Comité Olímpico Internacional, do Governo Japonês e do Município da capital nipónica, Koike afirmou que Tóquio "leva os custos muito a sério".

Em cima da mesa também estava prevista alteração de sede para o voleibol, no entanto essa decisão foi adiada para o Natal.

Se a proposta de deslocação das modalidades fosse aprovada, os custos poderiam ultrapassar os 28 milhões de euros, ou seja, quatro vezes mais do que o valor estimado inicialmente e quase o triplo dos Jogos de Londres2012.

No caso do remo e da canoagem, a proposta que consistia na transferência destas modalidades para as instalações já existentes em Miyagi, obteve resistência da parte dos organizadores, que argumentaram que a mudança de local implicaria mais custos.

No que respeita a natação, Koike disse que será construído um novo centro aquático com 15 mil lugares, mais pequeno e mais barato do que o plano inicial, que estimava 20 mil.

Quanto ao voleibol, a governadora acrescentou que será necessário mais um mês para avaliar a possibilidade de reduzir a dimensão no novo recinto Ariake Arena e adaptar o estádio de Yokogama, no sul da capital.

O vice-presidente do COI, John Coates, expressou a sua satisfação com o novo plano, mas acrescentou que os custos totais terão que descer significativamente.

"O COI está confiante que poderão ser alcançadas poupanças adicionais", afirmou Coates.

Espera-se que as quatro partes - que já se encontram reunidas desde domingo para analisar o impacto técnico e económico das alterações propostas -, consigam concordar com um projeto orçamental até ao final do ano.

Conteúdo publicado por Sportinforma