Doping

13-03-2017 16:49

Autor de relatório sobre doping na Rússia minimiza críticas

Muitos atletas russos foram impedidos de participar nos Jogos Olímpicos Rio2016 na sequência do escândalo de doping.
Paralympic Games 2016
Foto: Lusa

Muitos atletas russos foram impedidos de participar nos Jogos Olímpicos Rio2016 na sequência do escândalo de doping.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O jurista canadiano Richard McLaren afirmou hoje que os que criticam o seu relatório, que demonstrou a existência de um esquema de doping organizado na Rússia, se baseiam apenas em pormenores.

“Quando não se consegue atacar a questão central, atacam-se questões marginais”, afirmou Mclaren, em declarações à agência noticiosa Associated Press.

Recentemente, várias estruturas desportivas, entre as quais o Comité Olímpico Internacional (COI), consideraram que devido a traduções pouco precisas, alguns processos disciplinares levantados a atletas poderiam não ter resultados.

“A maioria das críticas que têm sido feitas [ao relatório] estão relacionadas com pormenores”, disse McLaren, autor do relatório, elaborado a pedido da Agência Mundial Antidopagem (AMA), que abalou todo o desporto russo.

Este relatório denunciou um programa institucionalizado de dopagem na Rússia, que implicou cerca de 1.000 atletas em práticas de dopagem nos Jogos Olímpicos de verão Londres2010 e de inverno Sochi2014.

Na sequência do documento, a Rússia foi suspensa de diversas competições internacionais.

Depois de o Comité Olímpico Internacional (COI) ter colocado a decisão nas federações de modalidade, muitos atletas russos foram impedidos de participar nos Jogos Olímpicos Rio2016.

O Comité Paralímpico Internacional (IPC) foi mais longe e baniu a Rússia dos Jogos Paralímpicos 106, disputados também no Rio de Janeiro.

Conteúdo publicado por Sportinforma