União Europeia Erasmus +

22-03-2017 12:55

Associação de Gondomar integra projeto europeu para o desporto adaptado

Instituição procura criar um guião para a prática de desporto por parte das pessoas com deficiência.
atletismo_paralimpicos
Foto: DR

Associação vai integrar projeto para criar metodologias de trabalho do desporto adaptado

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A Associação Recreativa e Social Estrelas de Silveirinhos (ARCSS), em Gondomar, integra um projeto europeu para elaborar dois livros destinados a criar metodologias de trabalho em desporto adaptado para pessoas com deficiência.

Matilde Monteiro, diretora executiva da associação sediada em Gondomar, no distrito do Porto, disse esta quarta-feira à Lusa que "os dois projetos integram o programa da União Europeia Erasmus + e terão de estar concluídos no prazo de dois anos".

Os projetos são designados de "Desporto para a Comunidade e Desenvolvimento" (em que intervêm também a Sérvia, Reino Unido e Itália) e "Integração da Diversidade através dos Desportos Aquáticos" (com Portugal, Itália e Croácia).

"No primeiro caso, cada um de nós tem a seu cargo a busca de boas práticas para, depois de compilada essa informação, avançar com a produção de um livro sobre metodologias de trabalho com comunidades em risco, em que o desporto é ferramenta fundamental", explicou Matilde Monteiro.

De acordo com a responsável da ARCSS a finalidade é “criar um guião para professores, formadores e voluntários e assim chegar ao país todo, criando agentes multiplicadores".

O segundo projeto, referiu, é “ainda mais inovador, pois não há muita investigação feita nesta área".

Para o livro sobre "Integração da Diversidade através dos Desportos Aquáticos", o grupo de países envolvidos "partiu do princípio de que o elemento água favorece a dinâmica de desenvolvimento pessoal e social, fomentando o crescimento de competências para a vida".

Para Matilde Monteiro, este segundo projeto "tem uma componente de formação mais vincada, focando-se em exercícios na água, como o surf, as atividades em águas termais, a hidroginástica e a natação, definindo os passos para pessoas com deficiência e quais as metodologias e técnicas que devem ser abordadas neste tipo de trabalho".

No caso da ARCSS, as áreas de investigação que vai levar a cabo em Portugal "versam as termas e o surf", indicou.

Após esta primeira fase de investigação, para reunir dados de boas práticas, os países voltam a reunir-se em julho para analisar as informações recolhidas e definir os passos a seguir.

Conteúdo publicado por Sportinforma