Modalidades

03-04-2017 11:18

Miguel Carneiro depois de duplicar vai triplicar distância do ‘ironman’

O polícia da Marinha Miguel Carneiro vai tentar tornar-se no primeiro português a completar um triplo ‘ironman’, a 28 de julho.
Prova do Mundial Ironman, no Havai, Estados Unidos. BRUCE OMORI/LUSA
Foto: Lusa

Prova do Mundial Ironman, no Havai, Estados Unidos. BRUCE OMORI/LUSA

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O polícia da Marinha Miguel Carneiro vai tentar tornar-se no primeiro português a completar um triplo ‘ironman’, a 28 de julho, em Lensahn, na Alemanha, depois de ter sido o pioneiro a duplicar a distância no triatlo longo.

Em agosto de 2016, Miguel Carneiro, de 33 anos, cumpriu o ‘super triatlo’ World Championship Double Ultra Triathlon em Panevezys, na Lituânia, de 7,6 quilómetros de natação, 360 de ciclismo e 84,4 de corrida, em 27:28.25 horas.

“Quando fui fazer o duplo ‘ironman’ soube que havia mais distâncias, entre as quais esta, e eu, na altura, já tinha feito todas as distâncias, não de seguida, mas já tinha feito. Para este ano, o meu objetivo era superar todas as distâncias e descobri esta prova”, explicou Miguel Carneiro à agência Lusa.

A quatro meses de enfrentar os 678 quilómetros da prova alemã (11,4 a nadar, 540 de bicicleta e 126,6 a correr), o algarvio, residente em Almada, explicou, com alguma simplicidade, como está a aumentar o volume de treino.

“O treino é contínuo, depois do duplo tive uma pausa, mas aumentei o volume de treino, que vai sendo gerido conforme o tempo disponível. É como treinar para uma prova de 10 quilómetros e passar a treinar para uma meia-maratona, porque mudamos mais as distâncias, tempo de treino e dedicação, é preciso um bocado mais de tudo”, referiu, admitindo que “todo o tempo livre é para treinar”.

Contando apenas com o apoio de uma marca de nutrição desportiva, Miguel Carneiro reconheceu a dificuldade de enfrentar estes desafios.

“Fora isso, não tenho patrocínio. Ainda não fiz bem as contas, mas já paguei a inscrição, que foram 550 euros. Tenho também os transportes, com voos e deslocação para a localidade, e tenho de custear uma equipa de apoio, de duas ou três pessoas, porque sozinho é impossível fazer esta prova. Tenho menos uma despesa, porque vamos ficar numa escola, nuns colchões. Mesmo assim deve andar à volta de 3.000 euros”, calculou.

Cumprido o primeiro dos três treinos das três modalidades, de quatro quilómetros de natação, 200 de bicicleta.

e 20 a correr, com a companhia de alguns seguidores da sua página no Facebook, o duplo ‘ironman’ conta participar no triatlo longo de Setúbal, no domingo, e no Ultra-Trail da Serra de São Mamede, a 20 de maio.

“Os 100 quilómetros de Portalegre vão ser uma boa preparação para os 120 quilómetros, mas vão ficar a faltar 6,6 e esses também fazem a diferença”, ressalvou.

O desconhecimento das distâncias, que nunca cumpriu, leva Miguel Carneiro à prudência de não avançar um objetivo: “No duplo estava a pensar nas 24 horas e acabei por demorar mais três. Nesta, o tempo limite são 60 horas (dois dias e meio) e eu talvez precise de pouco mais de 40, mas, sinceramente, não sei”.

“Prefiro não estabelecer uma meta, um tempo, espero dar o meu melhor e, ainda por cima, nunca corri ou pedalei tanto”, frisou.

Sem conseguir explicar a sensação de cumprir estes desafios, Miguel Carneiro recordou que foi durante o duplo ‘ironman’ que decidiu que teria de enfrentar os 678 quilómetros.

“É inexplicável, são muitas horas, até à prova e durante a prova. Costumamos dizer que custa muito o treino, mas eu andei 27 horas em prova e pensei em 1.001 coisas e no fim, também, claro, mas não sei explicar. É uma alegria, é incrível! Lembro-me que ainda estava na corrida, estava cheio de vontade de fazer outra e vai ser esta”, concluiu.

Conteúdo publicado por Sportinforma