Polo aquático

01-05-2017 19:49

Paredes e Fluvial Portuense vencem Taça de Portugal

A terceira Taça para o Paredes foi consumada com supremacia da equipa de Nuno Mariani em todos os parciais, nomeadamente 5-3, 3-2, 3-1 e 4-3.
polo_aquatico_geral_2013_533.jpg
Foto: © 2013; TIBOR ILLYES; epa03787656

A terceira Taça para o Paredes foi consumada com supremacia da equipa de Nuno Mariani em todos os parciais, nomeadamente 5-3, 3-2, 3-1 e 4-3.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Paredes conquistou hoje a Taça de Portugal de polo aquático ao vencer o Sporting por 15-9, enquanto o Fluvial Portuense assegurou o troféu feminino com o triunfo frente ao Gondomar por 12-1, na piscina municipal da Guarda.

A terceira Taça para o Paredes foi consumada com supremacia da equipa de Nuno Mariani em todos os parciais, nomeadamente 5-3, 3-2, 3-1 e 4-3.

“É sempre bom ganhar. Tenho de dar os parabéns aos jogadores e aos adeptos, assim como ao município que sempre apoiou esta equipa. Foi uma final interessante. O Sporting foi um justo finalista. Jogou muito bem o que valorizou esta final. As finais nunca obedecem a um plano, mas ao momento”, disse Nuno Mariani.

Já Paulo Melo, treinador do Sporting, assumiu que chegar à final concretizou um dos objetivos da época: “Sabíamos que o Paredes, assim como o Fluvial, são ainda de um campeonato à parte e por isso teríamos grandes dificuldades. Ainda assim, foi uma partida equilibrada nos dois primeiros períodos. O Paredes foi mais experiente na posse de bola e na concretização, mas o Sporting lutou e assustou o Paredes”.

Na competição feminina, a 10.ª Taça do Fluvial Portuense foi consumada por números expressivos, com o 12-1 frente a um rival jovem a ser materializado em períodos bem-sucedidos através de 4-0, 3-1, 1-0 e 4-0.

“Confirmámos o favoritismo e resolvemos o jogo cedo. Viemos de um período menos bom, mas esta Taça de Portugal permite encarar o resto da temporada com mais motivação. Parabéns à organização e federação pelas condições criadas para esta final. A arbitragem também esteve em alto nível. Uma final que foi um grande momento para o polo aquático”, regozijou-se o treinador do Fluvial Portuense, Tiago Santos.

O técnico do Gondomar, Ricardo Ferreira, destacou o facto de esta ser “a primeira final desta jovem equipa, composta com juvenis e algumas jogadoras seniores”, assumindo que as suas pupilas “acusaram a pressão”, mas valorizando a “boa réplica frente à melhor equipa nacional”.

Conteúdo publicado por Sportinforma