Kitesurf/ Cabo Verde

12-05-2017 14:21

Campeão do mundo Matchú Lopes deixa Cabo Verde para passar a competir por Espanha

Atleta cabo-verdiano está farto de não ver as promessas cumpridas.
mitú monteiro kite surf

Kitesurf pode levar Matchú para Espanha

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O kitesurfista cabo-verdiano Matchú Lopes, campeão mundial em “wave & free style”, vai passar a representar as cores da Espanha em detrimento de Cabo Verde, alegando sentir-se “cansado e desiludido” com as autoridades do país “por incumprimento de promessas”.

Em causa está o facto de o atleta sentir-se “abandonado depois de ter estado seis meses à espera de um passaporte diplomático e de um seguro para poder representar Cabo Verde”.

Matchú afirmou que está a passar por uma ilusão que o deixa triste uma vez que “estava a pedir o mínimo a Cabo Verde para evitar tantas burocracias nas fronteiras nas viagens ao estrangeiro”.

Nove meses após a sua consagração de campeão do mundo, o atleta salense disse à Rádio de Cabo Verde que prática o kitesurf por paixão e não por interesse económico, mas que encontra em Espanha uma oportunidade para fazer a sua vida.

O atleta lamenta que “perante um descaso das autoridades nacionais, tinha de pensar no futuro”, com o argumento que a carreira de um atleta é bastante curta e lembra que se encontra sem o seu passaporte, quando, neste momento, deveria estar nas Canárias a preparar-se para grandes eventos internacionais.

“Acreditei muito que Cabo Verde podia fazer o mínimo para mim. Sinto que, juntamente com Djô e Mitú Monteiro, somos, praticamente embaixadores do desporto náutico em Cabo Verde e no mundo, mas não somos valorizados aqui no país”, desabafa Matchú Lopes, que diz ter decidido lutar pelo seu futuro.

Matchú assegura que o processo para adquirir a nacionalidade espanhola está na fase final, e alerta as autoridades que “isto deverá servir de lição”.

“Na maioria das vezes, são as capas de revistas com as minhas imagens como campeão do mundo que me têm salvo nas fronteiras em vez do meu passaporte”, desabafa, acrescentando que muitas vezes se sentiu humilhado nas fronteiras ao ser transportado de quarto a quarto, ou mesmo enfileirar-se nas embaixadas quando deveria estar a treinar para alta competição, sob bandeira cabo-verdiana.

Matchú Lopes conquistou o título de campeão do mundo de kitesurf na disciplina de “wave e free style”, em outubro de 2016, em Marrocos. Uma semana depois viria a ser homenageado pelo Governo e distinguido durante a Gala do Desporto, realizada no Tarrafal de Santiago.

Esta decisão já está a ter repercussão na imprensa estrangeira, com o jornal “El Español” a fazer manchete com o título “Matchú Lopes, actual campeão do Mundo quer renunciar a sua condição de cabo-verdiano para competir pela Espanha por troca de uma nacionalidade”.

Conteúdo publicado por Sportinforma