Canoagem

05-06-2017 18:46

Francisca Laia considera medalha de ouro como motivação

canoísta disse que ficou muito contente com a prova em Belgrado.
Com Francisca Laia j
Foto: SAPO Desporto

Francisca Laia em prova

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

As canoístas Joana Vasconcelos e Francisca Laia classificaram hoje como “motivadora” a medalha de ouro conquistada no domingo em K2 200 na terceira etapa da Taça do Mundo, em Belgrado.

“É um ótimo indicador, tendo em conta que estamos em início de época. Somos uma tripulação que já remou junta, mas estamos a recomeçar. Foi ótimo. Estamos a fazer o nosso trabalho bem feito. Não foi na distância olímpica (500 metros), mas o resultado é importante para o moral. Sinal de que estamos a trabalhar bem”, disse a olímpica Francisca Laia.

Em declarações à agência Lusa, a canoísta do Sporting, de 23 anos, olímpica no Rio2016, assume que faz com Joana Vasconcelos, 25 anos, do Benfica, e que participou em Londres2012, uma dupla “com potencial”, embora assuma que este foi apenas um “teste” e que as opções dependem do selecionador Ryszard Hoppe.

Vasconcelos, que falhou um lugar no Rio2016, sente que “os resultados estão novamente a aparecer”, acreditando que “com trabalho e dedicação” esta tripulação pode “andar bem”, tal como o K4 500, que junta ainda Teresa Portela e Maria Cabrita.

“Antes da final, tinha dito à Francisca que ia ser um bocado difícil, pois nos 200 metros tudo pode acontecer. Acreditava, no entanto, que podíamos atingir as medalhas. Ganhar foi fenomenal”, congratulou-se.

Vasconcelos e Laia concluíram os 200 metros em 38,208 segundos, batendo por 440 milésimos a dupla australiana, composta por Jo Brigden-Jones e Jaime Roberts, e por 848 a dupla austríaca, constituída por Ana Lehaci e Viktoria Schwarz, segunda e terceira classificadas.

“Em termos técnicos, posso dizer que a nossa prioridade são as distâncias Olímpicas, neste caso K2 500. Vamos experimentar ainda outras soluções de embarcação e depois decidir qual a que dá melhores garantias de obter bons resultados desportivos nos Europeus e nos Mundiais”, comentou o diretor-técnico Ricardo Machado, igualmente vice-presidente da federação.

Na primeira Taça do Mundo, em Montemor-o-Velho, Portugal conquistou 11 medalhas, na segunda, em Szeged, Hungria, duas e agora uma.

Os Europeus disputam-se de 13 a 16 de julho em Plovdiv, Bulgária, enquanto os Mundiais decorrem em Racice, República Checa, de 24 a 27 de agosto.

Conteúdo publicado por Sportinforma