Ténis

07-04-2017 20:49

Taça Davis: O sonho está mais perto graças a João Sousa

Portugal está assim à beira de garantir o acesso ao ‘play-off’ do Grupo Mundial, algo que aconteceu apenas uma vez na história do ténis português.
João Sousa em ação
Foto: DR

João Sousa em ação

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

João Sousa colocou Portugal perto de um momento histórico, ao conquistar, frente ao ucraniano Mykyta Mashtakov, o segundo ponto da eliminatória do Grupo I da zona euro-africana da Taça Davis em ténis.

O número um nacional vulgarizou o jovem ucraniano, vencendo por 6-0, 6-3 e 6-0, e deixou a seleção portuguesa a um ponto de concretizar o sonho de disputar, pela segunda vez na história, o ‘play-off’ de acesso ao desejado Grupo Mundial, o de elite da principal competição por Nações do ténis.

Hoje, no ‘court’ coberto de terra batida do Club Internacional de Foot-Ball (CIF), em Lisboa, João Sousa deu uma lição de ténis ao ‘teenager’ Mykyta Mashtakov. A fazer a sua estreia na Taça Davis, o 1.558.º jogador mundial somou erros atrás de erros, para ver o primeiro ‘set’ passar num instante diante dos seus olhos.

Depois das emoções fortes do primeiro encontro da eliminatória, o número um nacional simplificou as contas de Portugal, fechando o primeiro parcial em branco e em apenas 19 minutos.

Apesar da evidente diferença de nível, o vimaranense esteve sempre focado, expondo as debilidades do ‘estreante’ que, aos 18 anos, acusou e muito a falta de rodagem diante de jogadores do topo mundial.

Depois de perder sete jogos consecutivos, o tenista ucraniano tornou-se mais agressivo, encostando o português ao fundo do ‘court’ e conseguindo manter o seu serviço a até ao sexto jogo.

Com o ‘break’ à melhor, o 37.º tenista mundial fechou o segundo ‘set’ com um 'ás', depois de apenas 57 minutos no ‘court’, e avançou para um terceiro parcial tirado a papel químico do primeiro.

Sem argumentos para contrariar a supremacia de Sousa, Mashtakov ‘afundou-se’ e permitiu que Sousa voltasse a vencer um ‘set’ em branco, com o segundo encontro da segunda ronda do Grupo I da zona euro-africana a ficar concluído em apenas uma hora e 19 minutos.

Portugal está assim à beira de garantir o acesso ao ‘play-off’ do Grupo Mundial, algo que aconteceu apenas uma vez na história do ténis português, no distante ano de 1994.

Conteúdo publicado por Sportinforma