Taça Davis

09-04-2017 19:29

Presidente da federação defende que Sousa e Elias merecem o Grupo Mundial

Vasco Costa revelou que caso o ‘play-off’ seja disputado em território nacional, será escolhido um local maior.
Vasco Costa
Foto: FERNANDO CORREIA / FP TÉNIS

Vasco Costa

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente da Federação Portuguesa de Ténis (FPT) defendeu hoje que João Sousa e Gastão Elias merecem levar Portugal ao Grupo Mundial, por tudo o que têm feito pela modalidade.

“Em primeiro lugar, estamos muito felizes. É uma seleção que tem vindo a trabalhar muito, estamos no caminho certo e vamos jogar uma final.

O ‘play-off’ é uma final. O João e o Gastão são jogadores que já fizeram muita história pelo ténis português. Eles fazem parte da grande história que estamos a viver na modalidade mais do que tudo, eles merecem subir ao Grupo Mundial”, sublinhou Vasco Costa.

O adversário do ‘play-off’, que foi consumado com um triunfo por 4-1 frente à Ucrânia na segunda eliminatória do Grupo I da zona euro-africana, que decorreu até hoje no Club Internacional Foot-Ball, será conhecido na terça-feira, mas o presidente da FPT não escondeu a sua preferência.

“Eu sei qual escolheria, se viessem as equipas completas: a Rússia. Seria a equipa que desejaríamos. Claro que se a Suíça não trouxesse o [Roger] Federer e o [Stanislas] Wawrinka também era fácil”, frisou.

Vasco Costa revelou que caso o ‘play-off’ seja disputado em território nacional, será escolhido um local maior.

“Eventualmente, em setembro, até podemos jogar em ‘outdoor’. Se for em casa, quase de certeza jogamos em terra batida. Já temos alguns locais pensados. Uma das hipóteses até pode ser o ‘Centralito’, caso a FPT venha a assinar o contrato de exploração do Centro de Alto Rendimento do Jamor já este mês, como todos esperamos”, confessou.

Não só como presidente, mas também como apaixonado do ténis, Costa assumiu que gostaria que Portugal superasse o feito histórico hoje igualado e chegasse ao Grupo Mundial – a seleção jogou um ‘play-off’ há 23 anos, mas não subiu.

Conteúdo publicado por Sportinforma