Ténis

02-05-2017 17:35

Estoril Open: João Domingues pouco surpreendido com a sua melhor vitória

A vitória do português só esteve em causa no terceiro ‘set’.
João Domingues em ação no Estoril Open
Foto: EPA/TIAGO PETINGA

João Domingues em ação no Estoril Open.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O tenista português João Domingues disse hoje não ter ficado surpreendido com a maior vitória da sua carreira, sobre o britânico Kyle Edmund, na primeira ronda do Estoril Open.

“Eu não estou surpreendido, tal como a minha equipa, porque eu acredito nas minhas potencialidades. A minha equipa técnica tem-me dado outra mentalidade. É obvio que foi a minha melhor vitória. Admiro muito o Edmund, que tem feito grandes resultados. É uma recompensa por todo o trabalho que tenho feito”, admitiu.

Minutos depois de ter eliminado Edmund, 41.º do mundo, por 6-4, 3-6 e 7-6 (7-2), em duas horas e seis minutos, Domingues, 242.º do ‘ranking’, agradeceu o apoio vindo das bancadas do ‘court’ Cascais.

“Foi fundamental o apoio das pessoas que têm vindo ver os meus jogos, sem eles não conseguia ter vencido o jogo da maneira que ganhei”, afirmou.

A vitória do português chegou a estar em causa no terceiro ‘set’, quando Edmund chegou ao 5-2, mas Domingues conseguiu recuperar, lembrando-se dos vários encontros que já venceu em três parciais esta temporada.

“Eu tenho feito muitos terceiros ‘sets’ este ano. Já estive a perder várias vezes e consegui dar a volt. Naquela altura disse para mim: ‘se já fiz outras vezes, porque não agora’. Quando dei por mim já tinha dado a volta e estava por cima do resultado, depois foi ponto a ponto”, referiu.

No momento em que viu o britânico chegar ao 5-2, João Domingues mudou a sua forma de jogar, algo que já estava pensado, porque, ganhando ritmo, Edmund “é um jogador fantástico”.

Para Domingues, estes resultados são fruto de “um trabalho que não vem de agora”, admitindo que agora está “bem fisicamente”, o que lhe permite focar-se mais no seu encontro.

“É uma recompensa de tudo o que está à minha volta. Tenho trabalhado muito. Estou a melhorar em termos técnicos, mas a minha mentalidade é muito melhor”, afirmou.

Na próxima ronda vai defrontar o sul-africano Kevin Anderson, 66.º da hierarquia, “um grande jogador”, segundo Domingues.

“Vai ser um jogo muito difícil, vou ter de jogar ao meu melhor nível ou mesmo superar”, disse Domingues, que assumiu que seria “uma boa experiência” jogar na sessão noturna do Estoril Open.

Para o futuro, João Domingues quer deixar os torneios ‘future’, que jogou até ao Estoril Open, para subir para os ‘challengers’, tendo ainda a esperança de chegar à fase de qualificação de Roland Garros, segundo torneio do ‘Grand Slam’ da temporada.

Conteúdo publicado por Sportinforma