Ténis

30-05-2017 20:30

Murray e Wawrinka já sem a companhia de Zverev na lista de favoritos de Roland Garros

Ao terceiro dia, o quadro masculino perdeu o seu primeiro grande candidato à vitória em Roland Garros.
Alexander Zverev, tenista
Foto: Lusa

Alexander Zverev em ação

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O estatuto de favorito pesou hoje a Alexander Zverev, com o jovem tenista alemão a despedir-se de Roland Garros na primeira ronda, num dia em que o número um Andy Murray se estreou com um triunfo.

E, ao terceiro dia, o quadro masculino perdeu o seu primeiro grande candidato, com aquele que, em teoria, era o mais forte dos ‘outsiders’ a ser surpreendido pelo experiente espanhol Fernando Verdasco, 37.º jogador mundial, pelos parciais de 6-4, 3-6, 6-4 e 6-2.

Há apenas dez dias, Zverev, de 20 anos, causou sensação ao derrotar o sérvio Novak Djokovic, o número dois mundial, na final do Masters 1.000 de Roma, mas, hoje, o 10.º tenista do ‘ranking’ não jogou, de acordo com as suas palavras, “uma m****” e, por isso, está fora do segundo ‘Grand Slam’ da temporada.

“Ele jogou muito bem, de forma muito inteligente. Eu joguei demasiado curto e defensivo. O mundo não vai parar de girar [com a minha derrota]. Claro que tenho de me interrogar sobre como joguei hoje, mas não há nada de trágico nisso”, defendeu.

Imune às ondas de choque provocadas pela eliminação precoce de Zverev, o número um mundial Andy Murray ‘sobreviveu’ a um pequeno susto, para vencer o russo Andrey Kuznetsov (73.º), por 6-4, 4-6, 6-2 e 6-0.

“Estava muito vento e ele estava a atacar a bola muito cedo, por isso tive de arriscar e isso levou-me a cometer muitos erros”, justificou.

O escocês, finalista derrotado por Djokovic no ano passado, sacudiu as dúvidas quanto à sua condição física – nos quatro torneios que disputou em terra batida não fez melhor do que uma meia-final, em Barcelona – e avançou para a segunda ronda, fase em que irá encontrar o eslovaco Martin Klizan.

Outro que suspirou de alívio com a passagem para a segunda ronda foi o suíço Stanislas Wawrinka. O número três mundial tem uma relação difícil com a primeira eliminatória do ‘Slam’ francês, tendo caído na entrada em 2014 e 2006 e tendo sido obrigado a duras batalhas a cinco ‘sets’ em 2016, 2012, 2009 e 2007, mas hoje ‘despachou’ o ‘qualifier’ eslovaco Jozef Kovalik, por 6-2, 7-6 (8-6) e 6-3.

Na segunda ronda estão também o japonês Kei Nishikori, o oitavo cabeça de série, que bateu o australiano Thanasi Kokkinakis, pelos parciais de 4-6, 6-1, 6-4 e 6-4, e o argentino Juan Martín Del Potro.

No seu primeiro encontro em Roland Garros desde 2012 – falhou as quatro edições anteriores devido a várias lesões -, o 30.º jogador mundial exibiu-se diante do seu compatriota Guido Pella, impondo-se por 6-2, 6-1 e 6-4.

No setor feminino, caiu mais uma ‘top 10’, com a britânica Johanna Konta, oitava pré-designada, a ser derrotada por Hsieh Su-Wei, de Taiwan, por 1-6, 7-6 (7-2) e 6-4.

As outras favoritas, nomeadamente a romena Simona Halep e a ucraniana Elina Svitolina, seguiram em frente. Enquanto a quarto tenista mundial demonstrou estar totalmente recuperada da rutura no ligamento no tornozelo direito que condicionou a sua preparação para Roland Garros, com um triunfo por 6-2 e 6-3 sobre a eslovaca Jana Cepelova, a quinta cabeça de série bateu a cazaque Yaroslava Shvedova, por 6-4 e 6-3.

Conteúdo publicado por Sportinforma