Lisboa Belém Open

14-06-2017 20:58

Ténis: Gonçalo Oliveira não sobreviveu a uma maratona

Os nove ‘break-points’ desperdiçados afetaram animicamente Oliveira.
(Arquivo) Tenis
Foto: Lusa

Os nove ‘break-points’ desperdiçados afetaram animicamente Oliveira.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ‘wild card’ português Gonçalo Oliveira deixou-se abalar pela perda de um jogo épico e acabou hoje eliminado pelo tenista francês Gleb Sakharov na segunda ronda do Lisboa Belém Open, depois de uma maratona de três horas.

O momento crucial do encontro, que o 216.º tenista mundial venceu por 6-3, 5-7 e 6-4, aconteceu no quarto jogo do terceiro ‘set’, quando o ‘raçudo’ português obrigou o mais cotado adversário a lutar para manter o seu serviço durante 30 minutos.

Os nove ‘break-points’ desperdiçados afetaram animicamente Oliveira, que caiu depois de uma dura luta de três horas e cinco minutos.

O primeiro jogo de serviço (perdido) do 309.º jogador mundial permitiu identificar, de imediato, qual seria o maior problema do português ao longo primeiro ‘set’: a falta de paciência para trocas de bola demasiado longas.

Com as bolas a saírem sucessivamente pela linha de fundo, Oliveira gritou-se “calma’ para conquistar, finalmente, o seu primeiro jogo no quarto disputado.

No entanto, durante o primeiro ‘set’, o ‘wild card’ luso nunca encontrou a tranquilidade necessária para contrariar as pancadas consistentes do francês, que ‘só’ teve de segurar os seus jogos de serviços, sem enfrentar qualquer ‘break-point’, para vencer por 6-3.

Perdido o primeiro parcial, Oliveira entrou a sofrer o ‘break’, uma situação que resolveu logo de seguida, ao quebrar, pela primeira vez, o serviço a Gleb Sakharov.

O equilíbrio manteve-se nos jogos seguintes, com o português a controlar melhor os pontos, mas a ceder à pressão no nono jogo, quando servia para adiantar-se para 5-4. Desconcentrado pela movimentação de um apanha-bolas, rapidamente concedeu três ‘break-points’ ao 216.º jogador mundial, que não desperdiçou a oportunidade.

Obrigado a servir para fechar o encontro, o francês tremeu e sofreu o ‘contra-break’, aumentando o suspense sobre o desfecho do embate da segunda ronda. Aí, Oliveira denunciou todo o seu desejo de seguir para os quartos de final, somando dois jogos consecutivos para fechar o segundo parcial a seu favor, por 7-5.

Embalado pelo triunfo no ‘set’, o português conquistou mais dois jogos, garantindo um precioso ‘break’, que perdeu logo de seguida.

O que aconteceu a seguir ficará na história do novo ‘challenger’ lisboeta: o quarto jogo durou 30 minutos, com os dois a disputarem 36 pontos até este pender para o lado de Sakharov.

A perda do jogo épico abalou Oliveira, que foi imediatamente quebrado e não mais recuperou a desvantagem, saindo derrotado por 6-4, quando o ‘court’ já estava mergulhado na penumbra.

Conteúdo publicado por Sportinforma