Ténis

04-07-2017 21:58

Federer e Djokovic beneficiam de lesões dos adversários em Wimbledon

Tenistas passaram à segunda ronda do mítico torneio inglês beneficiando da desistência dos adversários.
Roger Federer em ação no torneio de Wimbledon
Foto: EPA/NIC BOTHMA

Roger Federer em ação no torneio de Wimbledon

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Roger Federer e Novak Djokovic 'passaram' hoje por Wimbledon de forma quase idêntica, beneficiando da desistência dos adversários para seguir para a segunda ronda do torneio sem terem de jogar muito.

No quadro feminino, registou-se o triunfo da primeira cabeça-de-série, a alemã Angelique Kerber, mas também de outras favoritas, como a checa Karolina Pliskova ou a dinamarquesa Caroline Wozniacki.

O suíço Federer aposta a 'sua época' em Wimbledon e foi afortunado no jogo contra o ucraniano Alexandr Dolgopolov, que desistiu por lesão 42 minutos depois do início do confronto.

Para Federer, o menor desgaste é um evidente bónus para a segunda ronda (contra o sérvio Dusan Lajovic), mas também é um facto que Dolgopolov ia acabar por ceder, se continuasse o esforço - O primeiro set acabara com 6-3 e o segundo já ia em 3-0.

A vitória significou para o suíço mais um recorde de carreira, já que passa a ter 85 triunfos em Londres - isola-se como recordista da era Open, deixando para trás o norte-americano Jimmy Connors.

Curiosamente, este jogo, que fechou o 'court' principal, foi antecipado porque antes a vitória do sérvio Djokovic sobre o eslovaco Martin Klizan também foi facilitada pela desistência deste, com dores nos gémeos esquerdos, quando o marcador avançava com 6-3 e 2-0.

Nota ainda para a 'razia' consumada no contingente australiano, já nenhum dos seis que entraram em campo segunda-feira e hoje conseguiu passar à segunda ronda. As 'quedas' em simultâneo de Tomic, Kyrgios, Kokkinakis, Thompson, Millman e Whittington são um triste recorde para a Austrália, que nunca tinha visto nada assim na era Open.

Entre as mulheres, sem Serena Williams o torneio está especialmente aberto e as favoritas estão a seguir em frente, com menor ou maior dificuldade.

Hoje jogou a atual líder do 'ranking', e finalista derrotada no ano passado, a alemã Angelique Kerber, que ganhou à norte-americana Irina Falconi. Não 'deslumbrou', mas também nunca deixou de ter a eliminatória controlada, triunfando por duplo 6-4.

Outra 'vítima' de Serena em Wimbledon é a espanhola Garbine Muguruza, a finalista derrotada de 2015. Hoje, ganhou à russa Ekaterina Alexandrova, por 6-2 e 6-4.

Continuam igualmente na corrida, com ambições, Pliskova (6-1 e 6-4 à russa Elena Rodina) e Wozniacki (6-4, 4-6 e 6-1 à húngara Timea Babos).

A vitória menos 'previsível' foi da australiana (de origem russa) Arina Rodionova, 166.ª do 'ranking' e vinda da qualificação, que logrou afastar a russa Anastasia Pavlyuchenkova, 17.ª, com os parciais de equilibrados de 3-6, 7-6 (8/6), 9-7.

Conteúdo publicado por Sportinforma