Estoril Open 2017

06-05-2017 18:05

Carreño Busta: "Fiz um jogo muito bonito e muito completo"

O primeira cabeça de série do torneio, venceu este sábado, David Ferrer por um duplo 6-3 e qualificou-se pelo segundo ano consecutivo para a final do Estoril Open.
Pablo Carreño Busta
Foto: JOSE SENA GOULAO / EPA

Pablo Carreño Busta

Por André Delgado sapodesporto@sapo.pt

Pablo Carreño Busta, primeira cabeça do torneio, não desperdiçou a oportunidade de chegar pelo segundo consecutivo à final do Estoril Open, ao bater o compatriota por duplo 6-3.

O espanhol de 25 anos acabou por destacar a forma "confortável" como se exibiu no court Millennium frente ao compatriota, salientando que realizou uma partida "muito completa e com poucas falhas".

"Muito contente por chegar à final. Encontro-te muito cómodo a jogar aqui. Fiz um jogo muito bonito e muito completo. Cometi poucas falhas, dominei quando tinha que dominar. Fiz um jogo muito forte", analisou.

Sobre o facto de ter a pressão de ser o primeiro cabeça de série do torneio, o tenista reconheceu que por esse facto "há mais olhos postos em cima", contudo, as três vitórias obtidas no torneio até ao momento só o podem dar mais confiança.

"É diferente. Há mais olhos postos em ti, todo o mundo tem os olhos em ti. Estou muito animado. Joguei três jogos contra jogadores muito fortes (Robredo, Almagro e Ferrer) e especialistas em terra batida, três vitórias em três sets. Tenho que estar contente".

Apesar de estar a atravessar um grande momento, o tenista não sente "uma pressão extra para chegar ao top" 10 e garante que os dois títulos conquistados no último ano, os dois únicos no seu palmarés lhe permitem encarar a final de domingo com confiança redobrada.

"Tento semana a semana jogar bem e tenho confianca nas minhas possibilidades. Os títulos ganhos vão-me dar confiança para enfrentar a final. No ano passado [No Estoril Open, final perdida frente ao Almagro] era a minha segunda final da carreira e este ano vou para a minha sexta.

Em relação aos possíveis adversários na final, Gilles Muller ou Kevin Anderson, o tenista salienta que como "são dois jogadores que servem rápido" as condições, com previsível muito calor na final de amanhã, vão favorecer quem quer que se assegure o seu lugar na final.

"São jogadores qe servem rápido e vai estar muito calor. Vai ser um jogo muito duro. O serviço do [Kevin] Anderson tem muito 'kick' e a bola levanta muito. As condições vão favorece-los.

Conteúdo publicado por Sportinforma